Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Tribunal chinês decide a favor de homem transexual contra antigo empregador

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Administrator

Um tribunal chinês decidiu que um homem transexual foi injustamente despedido pelo antigo empregador, disse hoje o queixoso, no primeiro caso judicial no país sobre discriminação.

O homem de 29 anos, que se identifica apenas como "Senhor C" para proteger a privacidade dos seus pais, disse que um tribunal da província de Guiyang decidiu que os seus diretos laborais foram violados.

O tribunal condenou o antigo empregador do queixoso, a empresa do ramo da saúde Ciming Checkup, a uma multa equivalente a 253 euros.

"Apesar de faltar um pedido formal de desculpa por parte da Ciming, penso que este caso alcançou o seu propósito", afirmou o Senhor C, citado pela agência Associated Press.

"Nunca foi sobre dinheiro", acrescentou. "Esperamos que, através deste caso, pessoas em situação semelhante percebam que têm direitos, e esperamos que resulte numa lei contra a discriminação no local de trabalho".

Apesar de continuar a ser relativamente conservadora, a sociedade chinesa, e sobretudo a geração mais jovem, tornou-se nos últimos anos mais tolerante com gays, lésbicas, bissexuais e transexuais.

Em 2001, a Associação de Psiquiatria da China removeu a homossexualidade da sua lista de perturbações mentais, apesar de o país continuar a não ter leis que protejam os homossexuais ou o casamento entre pessoas do mesmo sexo ser ilegal.

Mas a crescente tolerância da sociedade chinesa encorajou alguns membros de minorias sexuais a exigir direitos.

Em 2014, um tribunal de Pequim decidiu que a "terapia de conversão", que visa alterar as preferências sexuais de gay para hétero, é ilegal.

No inicio deste ano, um tribunal da província de Henan obrigou um hospital psiquiátrico a emitir um pedido de desculpas publico e pagar 375 dólares em compensação, depois de ter forçado um homem gay a submeter-se à "terapia de conversão".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon