Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Tripulações da TAP continuam a ficar hospedadas em Curaçao nos voos para a Venezuela

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/08/2017 Administrator

As tripulações dos voos da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) com destino a Caracas continuam a ficar hospedadas em Curaçao e não na Venezuela, confirmou hoje uma fonte da companhia.

"Quanto a este assunto não há novidades. Mantêm-se as estadias em Curaçao (ilha das Antilhas) por gestão de tripulações", declarou hoje a fonte da companhia aérea.

A empresa já havia divulgado no início da agosto que as suas tripulações ficavam hospedadas em hotéis em Curaçao nos voos realizados para Caracas.

A fonte da TAP referiu que esta "é uma questão operacional interna em termos de gestão de tripulação", escusando-se a dar mais pormenores.

"Logo que possível, por gestão de tripulações, voltamos a ficar em Caracas", afirmou.

A transportadora aérea nacional tem dois voos semanais para Caracas.

As companhias áreas Delta, Ibéria e Air France, entre outras, suspenderam os seus voos para Caracas durante alguns dias no final de julho e início de agosto, num período próximo às eleições da nova assembleia constituinte venezuelana, que aconteceu a 30 de julho.

A Venezuela tem sido palco de manifestações frequentes contra e a favor do Presidente Nicolas Maduro desde abril, atravessa um período de forte instabilidade política - que foi agravada pelas eleições da assembleia constituinte - e uma grave crise económica.

A oposição venezuelana acusa o Presidente de pretender usar a reforma da Constituição para instaurar no país um regime ao estilo cubano e perseguir, deter e calar as vozes dissidentes.

A ex-procuradora-geral da República, destituída do cargo após a eleição da nova assembleia constituinte, fugiu para a Colômbia, onde deverá obter asilo político. Outros diplomatas e juízes têm saído da Venezuela, muitos para o Panamá, com medo das represálias do Governo do Presidente Nicolas Maduro.

Nos confrontos durante as manifestações contra Maduro, mais de 120 pessoas já perderam a vida.

CSR (MB)

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon