Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Turquia considera inaceitável a crítica da Alemanha pela detenção de ativistas

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/07/2017 Administrator

O Governo turco fez hoje saber ao encarregado de negócios da embaixada da Alemanha em Ancara que considera uma "intromissão inaceitável" na Justiça turca as críticas de Berlim pela detenção de seis ativistas dos direitos humanos em Istambul.

As declarações dos porta-vozes governamentais alemães - que pediram a libertação dos ativistas presos na Turquia -- são "uma falta de consideração diplomática" e constituem "uma clara intromissão na Justiça", manifesta um comunicado do Ministério turco dos Negócios Estrangeiros, segundo a agência Efe.

O Governo alemão chamou na quarta-feira o embaixador turco em Berlim para transmitir-lhe a "indignação e incompreensão" pela "inaceitável" detenção dos ativistas, entre os quais o alemão Peter Steudtner e a diretora da dependência turca da Amnistia Internacional, Idil Eser, sob a "impensável" acusação de que estão vinculados a organizações terroristas.

"Estas declarações são inaceitáveis", sublinha o comunicado, acrescentando que "ninguém deve dar instruções à judicatura".

O texto do Governo turco acrescenta que Steudtner -- que foi detido em 05 de julho e passou na passada terça-feira a prisão preventiva -- teve desde o primeiro dia acesso à proteção consular a que tem direito, de acordo com as normas internacionais.

"Estas declarações põem em relevo uma vez mais o duplo critério de quem acolhe com os braços abertos vários membros de organizações terroristas ao mesmo tempo que tenta impedir que a justiça sente terroristas no banco dos réus", diz o comunicado do ministério turco.

Com a prisão de Steudtner, são nove os alemães -- quatro com dupla nacionalidade turca -- que estão presos na Turquia, acusados de propaganda terrorista ou de terem ligações ao golpe de Estado fracassado de há um ano no país.

O caso mais destacado é o do correspondente do diário alemão "Die Welt" Deniz Yücel, detido em fevereiro passado em Istambul.

A Alemanha está a considerar responder a esta situação intercedendo junto da União Europeia no sentido da suspensão de certos fundos europeus de apoio à Turquia no quadro da sua candidatura de adesão à UE.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon