Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Turquia e Irão recusam referendo de independência no Curdistão iraquiano

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/08/2017 Administrator

Altos responsáveis políticos e militares da Turquia e do Irão voltaram hoje a manifestar a sua oposição à realização de um referendo sobre a independência no Curdistão iraquiano, a 25 de setembro.

O jornal turco Hürriyet Daily News escreve hoje que a questão dominou um encontro realizado na terça-feira entre os Chefes do Estado-Maior do Irão, general Mohamad Bagheri, e da Turquia, general Hulusi Akar.

Ambos, segundo o jornal, "concordaram que a insistência" do governo autónomo do Curdistão em realizar um referendo e um possível voto a favor da independência, "teria efeitos negativos na integridade territorial de ambos os países".

Bagheri, que prossegue a visita à Turquia, tem previsto reunir-se hoje com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Vários responsáveis políticos turcos têm afirmado a sua oposição ao referendo e, hoje, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mevlüt Cavusoglu, disse numa entrevista que o referendo pode levar a uma "guerra no Iraque".

O Iraque "atravessa muitos problemas e um referendo de independência só vai agravar a situação", disse o ministro à televisão pública TRT. "Pode levar a uma guerra civil", acrescentou.

Apesar das boas relações que mantém com o líder curdo iraquiano, Massud Barzani, a Turquia enfrenta no seu território um conflito com os curdos turcos, opondo-se frontalmente à constituição de um Estado curdo junto da sua fronteira.

O Curdistão iraquiano é constituído por três províncias do norte do Iraque, autónomas desde 1991, onde vivem cerca de 4,6 milhões de curdos.

O governo central do Iraque opõe-se à independência do Curdistão.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon