Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

UE adotou definitivamente acordo de associação com a Ucrânia

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/07/2017 Administrator

A União Europeia (UE) adotou hoje definitivamente o acordo de associação com a Ucrânia, que entra em vigor a 1 de setembro e aproxima Bruxelas de Kiev num contexto de tensão com a Rússia.

O anúncio do Conselho da UE, feito na véspera da Cimeira UE-Ucrânia de quarta e quinta-feira em Kiev, corresponde ao "passo final" no processo de ratificação de um acordo em que as duas partes se comprometem a manter "uma relação próxima e de longo prazo em todas as áreas políticas principais".

O Conselho, instituição que representa os países da UE, destacou em comunicado que muitos aspetos políticos e setoriais do acordo são aplicados, de forma provisória, desde setembro de 2014, meses depois de se desencadear a crise que se agravou com a anexação da Crimeia e o conflito armado no leste da Ucrânia.

Também está já em funcionamento, desde janeiro de 2016, a Área de Livre Comércio que facilita a abertura de mercados e a harmonização da legislação, padrões e regulamentos.

O acordo acentuou a tensão europeia com a Rússia, mas também encontrou obstáculos dentro da UE, com a rejeição da Holanda através de um referendo não vinculativo em abril de 2016, ultrapassada em maio passado por via parlamentar.

Para o Conselho, a conclusão e entrada em vigor do acordo proporcionará "um novo ímpeto" à cooperação entre Kiev e Bruxelas, em áreas como a política externa e de segurança, justiça, imigração, finanças públicas, educação e sociedade de informação.

O acordo, considera aquela instituição europeia, promove "vínculos políticos mais profundos, relações económicas mais fortes e o respeito pelos valores comuns".

A crise na Ucrânia foi desencadeada no final de 2013, quando o presidente pró-russo Viktor Ianukovich decidiu suspender o acordo de associação com a UE. A decisão foi seguida de protestos maciços a favor de uma aproximação da UE e contra a reaproximação à Rússia, que acabaram com o afastamento do Governo pró-russo.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon