Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

UE apoia com mais 22 milhões de euros redução das mortes de mulheres e crianças na Guiné-Bissau

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/10/2017 Administrator

A União Europeia anunciou hoje que vai continuar a apoiar o programa para redução da mortalidade infantil e das mulheres na Guiné-Bissau com um financiamento de cerca de 22 milhões de euros.

"É para mim um prazer partilhar convosco este evento de divulgação do Acordo de Financiamento entre a União Europeia e os seus parceiros de implementação (Entraide Médicale Internationale, Instituto Marquês Valle Flôr e Fundo da ONU para a Infância) no âmbito da continuação do apoio da União Europeia ao Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materno-Infantil", afirmou o representante da União Europeia em Bissau, Vitor Madeira dos Santos.

O programa teve início em 2013 e pretende diminuir a mortalidade das crianças menores de cinco anos e das mulheres grávidas com consultas, atos médicos e medicamentos gratuitos.

"A favorável avaliação externa ao programa, feita em 2016, recomendou a sua continuação e cobertura nacional para os próximos quatro anos. O custo total da segunda fase é de 22,7 milhões de euros, sendo 88% do montante financiado pela União Europeia e os restantes 12% pelos parceiros associados e cooperação portuguesa, através do Instituto Camões", acrescentou.

A segunda fase do programa, hoje apresentada em conferência de imprensa, vai beneficiar diretamente cerca de 200 mil crianças menores de cinco anos, 300 mil mulheres com idades entre os 14 e os 49 anos e 70 mil mulheres grávidas.

O programa engloba as 11 regiões sanitárias do país, abrangendo um total de 132 centros de saúde e inclui formação de mais 635 novos agentes de saúde comunitária e o abastecimento de medicamentos.

"Sem esta frutífera cooperação não teria sido possível atingir os níveis de indicadores de saúde que atualmente registamos. Nos próximos anos o apoio dos parceiros internacionais continuará a ser fundamental", afirmou o ministro da Saúde guineense, Carlitos Barai.

Segundo o ministro da Saúde guineense, em 2014, a taxa de mortalidade infantil de crianças com menos de um ano foi de 55 por cada 1000 nascimentos e de crianças até cinco anos de 89 mortes por cada 1000 nascimentos.

"A taxa de mortalidade materna ronda o valor de 900 mortes por em 100.000. Tendo em conta os dados estatísticos torna-se claro que a Guiné-Bissau tem de melhorar substancialmente os seus indicadores para conseguir alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável", salientou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon