Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Um dia inteiro de música encerra o Festival Internacional de Marvão

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/07/2017 Administrator

Uma programação que preenche todo o dia de hoje encerra o IV Festival Internacional de Música de Marvão (FIMM), no Alto Alentejo, começando às 11:00 com a eucaristia em que é interpretada a Missa da Coroação, de Mozart.

Na celebração católica dominical, na igreja de Nossa Senhora da Estrela, é interpretada a Missa da Coroação, do compositor austríaco, sob a direção do maestro Christoph Poppen, diretor artístico do FIMM.

A Missa da Coroação, composta em 1779, por Mozart, é interpretada pelo Coro Gulbenkian e pela Orquestra de Câmara de Colónia, sendo solistas a soprano Julianne Banse, a meio-soprano Anna-Doris Capitelli, o tenor Manuel Gamito e o baixo Yannick Sapnier.

Às 16:00, a igreja de São Tiago é o cenário para um recital da violoncelista Marie-Elisabeth Hecker, acompanhada pelo pianista Martin Helmchen, no qual serão interpretadas obras de Bach, Beethoven e Stravinsky.

O concerto de encerramento está marcado para as 19:00, no castelo, e conta com a presença, entre outras personalidades, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes.

O concerto é protagonizado pela Orquestra de Câmara de Colónia, sob a direção de Christoph Poppen, sendo solistas a cantora lírica Anna-Doris Capitelli e o violinista Augustin Hadelich.

O programa é composto pela Sinfonia n.º 35, "Haffner", de Mozart, a ária "Una voce poco fa" e a abertura da ópera "O Barbeiro de Sevilha", de Rossini, bem como pelo Concerto para violino, opus 64, de Mendelssohn.

No âmbito do FIMM, nos próximos dias 04 e 05 de agosto, respetivamente, em Valência de Alcântara, município espanhol a 25 quilómetros de Marvão, e na Sé de Portalegre, atua a orquestra do festival, sob a direção dos maestros Götz Hartmann e Christoph Poppen, apresentando um programa constituído por obras de Telemann, Wagner e Mendelssohn.

Esta orquestra é constituída por músicos profissionais da Orquestra de Câmara de Colónia, um dos agrupamentos que participam no FIMM, por jovens músicos e alguns músicos amadores, mais velhos, que se candidatam, através do portal do festival.

O FIMM abriu no passado dia 21 com um concerto pela Sinfonieta de Hong Kong, dirigido pelo maestro Christoph Poppen, em que foram solistas Juliane Banse e a violinista Clara-Jumi Kang.

"À quarta edição, o FIMM é já o maior festival de música clássica que se realiza em Portugal, em número de concertos, totalizando, nesta edição, 30 concertos", disse à agência Lusa o assessor artístico do certame, Bernardo Mariano.

Em declarações à agência Lusa, Bernardo Mariano destacou nesta edição "uma maior presença da orquestra do festival, o reforço da parceria com [a autarquia espanhola vizinha de] Valência de Alcântara, e o facto de, pela primeira vez, o festival ter apresentado concertos em Portalegre", a capital de distrito, a cerca de 25 quilómetros da vila de Marvão.

"Destaco a atividade da Orquestra do Festival, que é um projeto original em Portugal. Nunca um Festival teve uma orquestra própria, que tenha memória, e nós estamos a formar este projeto. Este ano vão fazer dois estágios e apresentar-se em quatro concertos", disse Bernardo Mariano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon