Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Universidade do Minho ministra curso de governação eletrónica para 30 técnicos guineenses

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

Trinta técnicos de diferentes ministérios da administração pública da Guiné-Bissau terminaram hoje uma formação em governação eletrónica ministrada por técnicos da Universidade do Minho, anunciou fonte oficial.

Olívio Pereira, secretário-geral do Ministério da Presidência do Conselho de Ministros, que presidiu ao encerramento do curso, no Centro Cultural Português em Bissau, referiu ter sido um sucesso a formação que durou cinco dias.

Aos formandos foram ministradas competências em governação eletrónica, serviços digitais e gestão de tecnologia de informação e comunicação.

Falando em nome do Governo guineense, Olívio Pereira, destacou o facto de os promotores da iniciativa (Universidade do Minho, Universidade das Nações Unidas e União Europeia) terem avançado com a ideia "mesmo perante a persistência da crise política" que assola a Guiné-Bissau.

Olívio Pereira considerou ainda que a própria ação de formação pode ajudar a amenizar os efeitos da crise política: "Pois quem muito trabalha para devida e honestamente ganhar o seu pão, não se compactua com os que semeiam a crise para dela sobreviverem", notou.

O embaixador de Portugal na Guiné-Bissau, António Leão Rocha, destacou que o curso "foi um verdadeiro sucesso" o que, enalteceu, trará por exemplo "ganhos ao nível do registo civil", que o próprio considera ser um desiderato nacional.

O representante da União Europeia na Guiné-Bissau, o português Victor Madeira dos Santos, fez votos que o curso ajude a melhorar a qualidade de serviços na administração pública guineense em benefício dos cidadãos.

Madeira dos Santos enalteceu o contributo de várias entidades no sentido de ajudar na melhoria da administração estatal guineense mas também sublinhou a confiança que deposita no futuro do próprio país.

Disse acreditar que os guineenses "são um povo trabalhador, ordeiro e inteligente" e que serão capazes de ultrapassar as "crises circunstâncias" que, disse, ainda afligem o país.

O curso foi9 ministrado no âmbito do Projeto de Apoio à Melhoria da Qualidade e Proximidade dos Serviços Públicos nos PALOP/Timor-Leste (PASP/PALOP-TL) da União Europeia.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon