Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Universidade vai atribuir um "espaço condigno" ao Teatro Universitário do Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/07/2017 Administrator

A direção do Teatro Universitário do Porto (TUP) revelou hoje que a Universidade do Porto assumiu o compromisso de atribuir à companhia "um espaço condigno" e "o mais rapidamente possível".

Este compromisso surge na sequência do anúncio de que o TUP vai ter de abandonar as instalações que ocupa no complexo do antigo Colégio Almeida Garrett, no centro da cidade, que a Universidade do Porto tem à venda, por um preço base de 4,76 milhões de euros.

Em comunicado, a direção do TUP refere que, depois de uma reunião ocorrida na quinta-feira, "a Universidade do Porto, na pessoa da Vice-Reitora para a Cultura e Relações Externas, Maria de Fátima Marinho, comprometeu-se a atribuir ao TUP um espaço condigno com todas as condições necessárias à sua atividade, o mais rapidamente possível".

O TUP espera agora "ver finalmente resolvida a sua situação", depois de "tantos anos em espaços provisórios e sem condições".

A Universidade do Porto lançou um concurso público, publicado no dia 28 de junho em Diário da República, para alienar ou concessionar o direito de superfície do prédio do antigo colégio Almeida Garrett.

"O procedimento [concursal] visa a celebração de contrato de compra e venda do espaço denominado 'ex-colégio Almeida Garrett', ou a celebração do contrato referente à cedência em direito de superfície por um período máximo de 30 anos", especifica o anúncio.

Além do TUP, também a Academia Contemporânea de Espetáculos (ACE) ocupa ainda uma área naquele espaço.

Aquando de uma visita da coordenadora do Bloco de Esquerda ao local, realizada na segunda-feira, o reitor da Universidade, Sebastião Feyo de Azevedo, disse ser "bem claro" que o edifício "não pode continuar como está e, portanto, em termos gerais, terá que ser encerrado".

"Iremos procurar com a ACE e com o TUP uma solução para as atividades muito importantes que têm vindo a desenvolver", disse, sublinhando que "a Universidade do Porto tem a sua autonomia de gestão".

Segundo Sebastião Feyo de Azevedo, "a Universidade do Porto não pode gerir o seu património com algum tipo de limitações".

"Isto custa muito dinheiro, temos investido imenso na cultura e no património e é no quadro dessa estratégia de investimento que temos de perceber o que vai ser feito neste edifício", acrescentou.

Localizado na freguesia do centro histórico do Porto, o complexo tem entrada pela praça Coronel Pacheco e está inserido num terreno com uma área total de 8.520 metros quadrados, suficiente para ali instalar oito campos de futebol.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon