Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Vamos para o aquecimento às 15h20. É uma hora terrível"

Logótipo de O Jogo O Jogo 19/08/2017 Alcides Freire

José Couceiro, treinador do Vitória de Setúbal, manifestou a sua preocupação pela hora a que se realiza no domingo o encontro com o Chaves, da terceira jornada da I Liga.

José Couceiro © MIGUEL A. LOPES José Couceiro

José Couceiro, treinador do Vitória de Setúbal, manifestou a sua preocupação pela hora a que se realiza no domingo o encontro com o Chaves, da terceira jornada da I Liga.

"O calor previsto é um dado que pode condicionar qualquer uma das equipas em campo. Devemos todos chamar a atenção para que nesta altura de agosto não se jogue às 16 horas. É mau para todos: jogadores, árbitros e público. Vamos para o aquecimento às 15:20. É uma hora terrível", disse em conferência de imprensa.

Para atenuar a "adversidade extra", o técnico, que recorda o que aconteceu em mundiais de futebol, deseja que existam pausas durante a partida.

"Fomos tão críticos do Mundial dos Estados Unidos, Brasil e Catar e, depois, damos azo a que isto aconteça. No mínimo, prevê-se para amanhã [domingo] 35º, mas até pode chegar aos 38 ou mais. Espero que haja acordo para interromper a partida para hidratação", referiu.

Sobre o conjunto flaviense, José Couceiro elogia o oponente e vaticina, como sucedeu na temporada passada, um duelo repartido.

"O ano passado andámos a maior parte do tempo lado a lado com o Chaves. Empatámos os dois jogos [0-0]. Este ano a história é um bocado diferente, porque as equipas alteraram-se um pouco. É um adversário com qualidade a todos os níveis, jogadores e treinadores", frisou.

Depois do empate com Moreirense (1-1) e da derrota com o Sporting (1-0), o treinador dos setubalenses admite a necessidade de pontuar, referindo que o Chaves está numa situação semelhante.

"Era justo que tivéssemos mais pontos do que temos, tal como o Chaves, que não tem pontos e já o podia ter. Tem de haver capacidade para reagir à adversidade. As equipas estão no mesmo patamar em relação à necessidade de pontuar", disse.

Frente ao emblema flaviense, José Couceiro, que volta a contar com o defesa Vasco Fernandes (cumpriu castigo), já não conta com o capitão Frederico Venâncio, que se transferiu esta semana para os ingleses do Sheffield Wednesday.

"Não contávamos que a saída do Frederico fosse nesta altura, mas sabíamos que podia acontecer. Salvaguardaram-se os interesses do Vitória. A equipa tem jogadores com capacidade para o substituir e é isso que vamos fazer. Não estou preocupado", garantiu.

O Vitória de Setúbal, 16.º classificado, com um ponto, defronta o Desportivo de Chaves, 17.º ainda sem pontuar, domingo, 16h00, no Estádio do Bonfim, em Setúbal. O encontro é dirigido por Manuel Mota, de Braga.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon