Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Casa Branca saúda votação simbólica anti-Maduro

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/07/2017 Administrator

A Casa Branca expressou hoje o seu apoio à consulta simbólica realizada no domingo na Venezuela contra o presidente Nicólas Maduro, na qual participaram 7,2 milhões de pessoas, considerando que o resultado mostra a condenação do regime de Caracas.

"Felicitamos os cidadãos venezuelano pela importante participação no referendo de ontem [domingo]", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, citado pela agência de notícias francesa AFP.

"Condenamos toda a violência infligida por grupos ao serviço do governo contra os eleitores inocentes", vincou o responsável, em nome da Administração Trump.

Mais de 7,1 milhões de eleitores votaram na consulta simbólica contra o projeto de Assembleia Constituinte, promovido pelo Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou no domingo a oposição.

"Com 95% dos votos escrutinados, participaram 7.186.170 venezuelanos" na consulta popular organizada pelos opositores do Presidente, Nicolás Maduro, para se pronunciarem sobre a alteração constitucional promovida pelo Executivo, informou, em conferência de imprensa, a reitora da Universidade Central da Venezuela (UCV) e membro da comissão de garantias do plesbicito, Cecilia García Arocha.

"Esta ação, realizada pela população venezuelana, é uma mensagem clara e contundente, a nível nacional e internacional", de que a população "quer uma mudança" de Governo "através da democracia", sublinhou.

Os venezuelanos foram convocados, no domingo, pela oposição venezuelana, para participarem num plebiscito simbólico contra o projeto de Assembleia Constituinte do Presidente Nicolás Maduro.

O plebiscito ocorreu após mais de três meses de intensos protestos, durante os quais pelo menos 94 pessoas morreram.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon