Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Detidos três jornalistas, um italiano, um suíço e um venezuelano

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/10/2017 Administrator

Três jornalistas, um italiano, um suíço e um venezuelano, foram detidos quando se preparavam para fazer uma reportagem numa prisão na Venezuela, denunciaram no sábado várias organizações de jornalistas e de defesa dos direitos humanos.

Roberto Di Matteo (italiano), Filippo Rossi, (suíço), segundo a ONG Foro Penal, e o venezuelano Jesus Medina foram detidos na sexta-feira depois de terem entrado na prisão de Tocoron no Estado de Aragua, norte.

Fillipo Rossi, inicialmente apresentado como italiano, é de nacionalidade suíça, segundo os 'media' suíços.

Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros suíço confirmou a detenção de um cidadão suíço, adiantando que a embaixada em Caracas "está em contacto com as autoridades competentes e a assistir aquele compatriota no âmbito da proteção consular".

Por outro lado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros italiano fez saber que a embaixada em Caracas "está a acompanhar desde o primeiro momento o caso da detenção do cidadão italiano Roberto Di Matteo, em contacto estreito com as autoridades locais".

"Eles estavam na prisão de Tocoron (...) para fazer uma reportagem quando foram detidos", explicou o sindicato nacional dos trabalhadores da Imprensa (SNTP).

As organizações de jornalistas não precisaram para que meios trabalhavam os jornalistas italianos, mas afirmaram que Medina é um fotojornalista que trabalha para o 'site' DolarToday, que se opõe ao governo.

Uma fotografia dos três jornalistas de costas, aparentemente maniatados e escoltados por dois militares, foi divulgada pelo SNTP.

O sindicato assegurou que constatou que os jornalistas estavam de boa saúde no sábado à noite. "Eles estão bem, não têm qualquer vestígio de mau tratamento", referiu o SNTP.

"Eles tinham um convite para entrar em Tocoron. Acreditaram-se para ir quando lhes foi interdito o acesso e depois foram detidos. Parece que houve uma contraordem para impedir a entrada", segundo sindicato.

Os três jornalistas estão "detidos desde sexta-feira num posto da Guarda nacional", indicou o diretor do Foro Penal, Alfredo Romero, precisando que os advogados da ONG já se tinham deslocado a Tocoron para os defender.

Segundo o SNTP, os jornalistas foram inquiridos pelos funcionários da penitenciária e depois presentes ao Ministério Público.

ONG denunciam regularmente o estado de sobrelotação e a má nutrição nos centros de detenção venezuelanos.

A ONG de defesa dos direitos dos presos Uma Janela para a Liberdade estimou no final de 2016 que havia 88.000 detidos para uma capacidade oficial de 35.000 lugares.

O Governo assegura que o plano lançado em julho de 2011 para descongestionar as prisões foi concretizado em 90% das 50 prisões do país.

O executivo de Nicolas maduro, que se queixa de ser alvo de uma campanha contra si por parte dos 'media' nacionais e estrangeiros, assegura ter adotado com sucesso medidas para pacificar as prisões e para as pôr ao nível das internacionais.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon