Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Familiares exigem que sejam identificadas as vítimas do motim prisional

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/08/2017 Administrator

Mais de uma centena de familiares de presos concentraram-se hoje junto do hospital de Puerto Ayacucho, no estado venezuelano de Amazonas (sul do país), para exigir que as autoridades identifiquem as vítimas do motim ocorrido numa cadeia local.

O motim, segundo o Ministério Público, causou 37 mortos e ficaram feridos 15 funcionários, desconhecendo-se no entanto se todas as vítimas mortais eram presos do Centro de Detenção Judicial Preventiva de Amazonas, situado próximo da fronteira venezuelana com o Brasil e a Colômbia.

Em declarações à AFP, o governador de Amazonas, Libório Guarulla, explicou que "os cadáveres estão empilhados na morgue do Hospital José Gregório Hernández e os familiares estão esperando que o Ministério do Interior e Justiça identifique as vítimas".

Entretanto o ministro venezuelano do Interior, Néstor Reverol, disse à televisão estatal venezuelana que o Governo assumiu o controlo do Centro de Detenção Judicial Preventiva de Amazonas e confirmou que 15 funcionários foram feridos por armas de fogo.

Néstor Reverol responsabilizou "diretamente" o governador Libório Guarulla, eleito pelo Movimiento Progresista de Venezuela (oposição), pelo ocorrido, salintando que a prisão é uma infraestrutura "policial que está controlada e administrada" pelas autoridades da região.

Segundo o ministro, oficiais da Guarda Nacional Bolivariana (GNB, polícia militar) tiveram que entrar no espaço para conter a violência interna, já que a instituição contava com apenas três guardas prisionais.

Fontes oficiais dão conta de que 61 presos foram transferidos para outros cárceres e que um outro aproveitou a situação para fugir.

Segundo as ONG venezuelanas são cada vez mais frequentes os casos de alegadas violações de direitos humanos nas prisões, motins em que os presos tentam ter o controlo das prisões e também confrontos por questões relacionadas com a falta de alimentos e medicamentos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon