Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Futebolistas desobedecem ao governo de Maduro

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/05/2017 Rui Trombinhas

Minuto de silêncio já com o jogo a decorrer.

© Fornecido por O jogo

Os jogadores das equipas venezuelanas do Deportivo Lara e do Anzoátegui cumpriram um minuto de silêncio em honra das pessoas mortas em abril de 2017 na sequência da onda de protestos contra o governo daquele país da América do Sul.

Insólito foi o momento escolhido para o minuto de silêncio: o mesmo não ocorreu antes de o jogo começar, como é hábito, mas logo a seguir ao apito inicial do árbitro. A opção verificou-se porque o governo presidido por Nicolás Maduro rejeitou oficialmente o pedido para o mesmo ser efetuado. Assista no vídeo em anexo.

Cerca de 30 pessoas foram mortas desde que começaram os protestos, no início de abril. O futebolista Gabriel Cichero, no twitter, explicou assim o minuto de silêncio. "Foi em honra dos homens falecidos neste mês trágico que vive o país. Os futebolistas juntaram-se para mostrar que estamos unidos e que, no relvado, quem manda e toma decisões, quando queremos algo, somos nós. Não se esqueçam que, no jogo, nós é que somos os protagonistas. Paz às suas almas e aos seus familiares. Deus proteja a Venezuela!"

Veja o vídeo

amazon2017/05/minuto_de_silencio_por_las_victimas_de_las_protestas_en_venezuela_deportivo_lara_vs_dvo_anzoategui_20170501124845centro

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon