Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Guterres quer país livre de ingerências e autoritarismo

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/08/2017 Administrator

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu hoje que a Venezuela deve manter-se livre tanto "de intervenção estrangeira como de autoritarismo".

"A América Latina conseguiu livrar-se tanto da intervenção estrangeira como do autoritarismo. E essa é uma lição que é muito importante salvaguardar, concretamente na Venezuela", disse Guterres em conferência de imprensa.

O responsável máximo das Nações Unidas respondeu assim quando inquirido sobre a repressão de manifestações pelo Governo de Caracas e a "opção militar" colocada em cima da mesa pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Guterres insistiu mais uma vez em que a solução para a crise venezuelana só pode ser política e instou o executivo do Presidente Nicolás Maduro e a oposição a retomarem o diálogo.

"A Venezuela precisa de uma solução política assente no diálogo e no compromisso entre o Governo e a oposição", sublinhou.

O ex-primeiro-ministro português reconheceu os esforços de mediação internacional e de líderes da região e assegurou que os apoia plenamente.

"Tenho estado em estreito contacto com todos eles e insto o Governo e a oposição a retomarem as negociações, porque creio que a única solução é política", frisou.

Desde o início da crise, Guterres manteve esta postura e evitou criticar abertamente tanto Maduro como a oposição.

Entretanto, o gabinete do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos denunciou em mais de uma ocasião a repressão por parte das forças de segurança venezuelanas e pediu ao Governo a libertação de líderes da oposição e de todos os detidos por exercerem um direito fundamental: a liberdade de expressão.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon