Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: Maduro propõe mesa de diálogo com oposição antes da Assembleia Constituinte

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/07/2017 Administrator

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, propôs hoje que seja criada uma mesa de diálogo com a oposição antes das eleições para eleger os candidatos à Assembleia Constituinte (AC), previstas para domingo.

"Quero fazer uma proposta pública que convém à oposição responder antes da instalação da AC. Proponho que a oposição política venezuelana abandone o caminho da insurreição, que regresse à Constituição, e instalaremos, nas próximas horas, antes das eleições e da AC uma mesa de diálogo, de acordo nacional e reconciliação da pátria", disse.

A proposta do Chefe de Estado foi feita numa ação de campanha pela Assembleia Constituinte, durante o qual explicou que o diálogo serviria para falar dos grandes temas do país.

Por outro lado, instou os venezuelanos que desconfiam do processo revolucionário a não se deixarem "abater pelo descontento ou a falta de confiança" e que cumpram com a pátria, indo votar.

O chefe de Estado sublinhou que é importante usar o Cartão da Pátria (que dá acesso a programas sociais governamentais) nas eleições de domingo, para que, através do "código QR" (chip ou módulo de armazenamento de informação) do cartão se saiba quem "votou e cumpriu com a pátria".

Na Venezuela, as manifestações a favor e contra o Presidente Nicolás Maduro intensificaram-se desde 01 de abril último, depois de o Supremo Tribunal de Justiça divulgar duas sentenças que limitavam a imunidade parlamentar e em que aquele organismo assumia as funções do parlamento.

Entre queixas sobre o aumento da repressão, os opositores manifestam-se ainda contra a convocatória a uma Assembleia Constituinte, feita a 01 de maio último pelo Presidente Nicolás Maduro, com o intuito de alterar a Constituição.

A oposição insiste que a Constituinte acabará com os restos de democracia que existem no país e que será usada pelo Governo para se submeter aos interesses cubanos e avançar com um regime comunista ao estilo de Cuba.

Pelo menos 103 pessoas morreram, desde abril, no âmbito dos protestos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon