Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Venezuela: UE pede medidas "geradoras de confiança" antes de eleição de domingo

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/07/2017 Administrator

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherii, pediu hoje a Caracas que tome medidas "geradoras de confiança" antes das eleições para a Assembleia Constituinte, no domingo.

"Tal como aconteceu com a transferência de Leopoldo López para prisão domiciliária, o Governo deveria ponderar urgentemente a tomada de medidas geradoras de confiança antes de 30 de julho, com o objetivo de desanuviar tensões e fomentar a criação de melhores condições para retomar os esforços em prol de uma solução pacífica e negociada, apelou Mogherini em comunicado.

"Está na hora de pôr termo à violência", apelou, salientando ainda que "a UE espera que as autoridades venezuelanas respeitem a Constituição e o Estado de direito e garantam que os direitos e liberdades fundamentais, incluindo o direito à manifestação pacífica, são assegurados".

Para a Alta representante para a Política Externa da UE, "o agravamento da tensão política e da violência na Venezuela já ceifou demasiadas vidas e causou inúmeros feridos em manifestações quase diárias".

Federica Mogherini apelou também ao "respeito pela Assembleia Nacional como legítimo órgão legislativo e a independência da Procuradoria-Geral, que devem poder atuar sem entraves e sem receio de intimidação ou ameaças, são cruciais para preservar a confiança dos cidadãos no Estado e no sistema judiciário".

A UE lembrou ainda que o povo venezuelano tem contestado a convocação de uma Assembleia Constituinte, havendo o risco de "polarizar ainda mais o país e exacerbar o risco de confrontação".

Os 28 querem também que Caracas e a oposição retomem o diálogo, disponibilizando-se a "apoiar, por todos os meios possíveis, a criação de um 'grupo de amigos' na região, a fim de contribuir para os esforços dos intervenientes políticos na Venezuela no sentido de encontrar uma solução pacífica, democrática e inclusiva para a crise no país".

Mogherini estabelece "quatro condições essenciais para o êxito de qualquer acordo: o respeito pela separação de poderes, a libertação dos opositores políticos detidos, a cooperação externa para dar resposta às necessidades mais urgentes da população, e um calendário claro para as eleições que estão previstas nos termos da Constituição, para que o povo venezuelano possa exprimir a sua vontade por sufrágio livre, direto e universal".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon