Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Vidal, Alexis e o recente vício de ganhar: eis o Chile, próximo adversário de Portugal

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/06/2017 Hugo M. Monteiro

A "Roja" sul-americana classificou-se para as meias-finais da Taça das Confederações no segundo lugar do grupo B. Vai defrontar a Seleção Nacional em Kazan, na quarta-feira.

Portugal já conhece o adversário das meias-finais da Taça das Confederações. Na quarta-feira (19h00), Kazan será o palco do confronto entre duas seleções em estreia na competição, uma vez que a equipa das Quinas, vencedora do Euro'2016, vai ter pela frente o Chile, que arrebatou as duas últimas edições da Copa América.

© EPA/Tolga Bozoglu

Esses são, de resto, os únicos títulos oficiais conquistados pela "Roja" da América do Sul. Uma nova geração de jogadores despontou a partir da participação chilena no Mundial de 2010 e, com esse ressurgimento, apareceram as primeiras conquistas.

Com Alexis Sánchez e Arturo Vidal à cabeça, o Chile passou a ser encarado com outro respeito pelos adversários, ao ponto de se ter transformado numa espécie de pesadelo para a seleção da Argentina, finalista vencida da Copa América em 2015 e 2016, em ambas as ocasiões no desempate por grandes penalidades.

Na presente edição da Taça das Confederações, o Chile arrancou com um triunfo sobre os Camarões, por 2-0, empatando depois com a Alemanha e com a Austrália, ambos a uma bola, terminando o grupo B na segunda posição, com cinco pontos.

Em termos de confrontos diretos entre Portugal e a seleção sul-americana, o saldo é claramente positivo para a formação lusa: em três jogos, duas vitórias e um empate. Em 1928, na ronda preliminar dos Jogos Olímpicos de Amesterdão, a Seleção bateu os chilenos por 4-2; o segundo confronto surgiu em 1972, com Portugal a vencer por 4-1, na Taça da Independência; o terceiro e último, de preparação, remonta a 2011, em Leiria, que terminou empatado a um golo. Silvestre Varela e Matías Fernández foram os marcadores de serviço.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon