Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Vim para o Braga porque existe o projeto de sermos campeões"

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/03/2017 Alcides Freire

Com um discurso ambicioso, Rafael Assis voltou a reforçar a ideia de que trocou o Chaves pelo Braga com o objetivo de "ser campeão nos próximos anos". Mas disse mais: que ainda é possível chegar ao pódio esta época

Assis © Octávio Passos/Global Imagens Assis

Assis não concorda totalmente com as recentes palavras de António Salvador, presidente do Braga, que considerou que a época está a ser "banal". "Não diria banal... O Braga está sempre lá em cima, a lutar pelo terceiro ou quarto lugar, e a verdade é que vim para cá porque existe o projeto de sermos campeões nos próximos anos. Estamos todos juntos, dirigentes, jogadores e treinadores, porque queremos alcançar esse objetivo", disse. O brasileiro, de 26 anos, desvalorizou, no entanto, o facto de António Salvador ainda não ter garantido a continuidade de Jorge Simão para a próxima época. "Em nenhum momento isso irá criar instabilidade. Ninguém tem lugar cativo no Braga. Estamos todos no clube para o servir, e para trabalhar, independentemente do que acontecer no futuro", prosseguiu.

A concluir, Assis diz compreender que os adeptos queiram mais vitórias, mas recordou que estão todos no mesmo barco. "Nós também não gostamos de empatar ou perder... Eles podem ter a certeza de que damos sempre o máximo", rematou.

Rafael Assis revelou que o facto de ser baixo (1m70) lhe trouxe dificuldades no início da carreira. "No Brasil, eu não jogava porque os trincos tinham todos 1,80 metros... As pessoas olhavam para mim com desprezo e estavam sempre a dizer "ele não tem condições para jogar naquela posição". Ainda tentei jogar em outras posições, até fui lateral, mas não me sentia bem. Queria mesmo ser trinco. Vim para a Europa, destaquei-me no Beira-Mar, fui para o Chaves e agora cheguei ao Braga, e a jogar sempre a trinco! Felizmente deu certo", contou. Assis também disse que "ainda não atingiu o máximo" do seu potencial em Braga. "Tenho crescido todos os dias e é importante que a equipa continue a vencer para ganhar mais confiança."

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon