Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Vogais indicados para a ANACOM asseveram que vão "atuar e investigar" queixas de cidadãos

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/07/2017 Administrator

Dois novos vogais indicados para a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) garantiram hoje no parlamento que irão exercer funções de forma independente e procurarão "atuar e investigar" as queixas de cidadãos, nomeadamente as referentes às operadoras.

"Há zonas sombrias dos contratos que levam a mal-entendidos, nomeadamente em questões de fidelização", vincou Francisco Cal, hoje ouvido na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

Na "breve troca de impressões" que o responsável já teve com o futuro presidente da ANACOM, que aguarda também a formalização da entrada na entidade, Francisco Cal garantiu ter atuado "em todos os cargos" passados "de forma a poder cumprir e respeitar o interesse público".

Também escutada hoje pelos deputados foi Dalila Araújo, indicada para vogal da ANACOM, que lembrou os seus "20 anos passados na vida pública", por entre funções nos CTT ou como governadora civil de Lisboa, por exemplo.

"Ética, transparência e foco no interesse público" são matrizes que a responsável diz que sempre teve e que levará para a ANACOM, a confirmar-se a sua nomeação.

Na quarta-feira, a comissão havia ouvido João Cadete de Matos que, a confirmar-se a indigitação, sairá do Banco de Portugal, para presidente da ANACOM, e será acompanhado por três vogais no Conselho de Administração.

João Cadete de Matos foi nomeado em junho pelo Governo e na quarta-feira no parlamento asseverou que a ANACOM será "independente de quaisquer interesses de qualquer empresa no setor", embora ressalvando que parte das empresas resolver, em primeira instância, os problemas com os seus clientes.

Margarida Sá Costa foi escutada pelos deputados na quarta-feira, depois de Cadete de Matos, e garantiu também total independência no exercício das futuras funções, a confirmar-se a nomeação.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon