Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Voo direto da TAP Lisboa/Abidjan/Lisboa vai trazer benefícios económicos -- diplomata

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/07/2017 Administrator

A retoma, 17 anos depois, dos voos diretos entre as capitais de Portugal e da Costa do Marfim, operados pela TAP, vai trazer "enormes benefícios económicos" aos dois países, disse hoje o embaixador marfinense em Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, Fana Theodore Kofi lembrou que a missão diplomática da Costa do Marfim em Lisboa abriu em junho de 2016 e que a retoma, na segunda-feira, das ligações aéreas entre os dois países, interrompidas em 2000 devido à instabilidade política e militar que se vivia então no país, vai permitir abrir as portas às empresas dos dois países.

"Há um potencial enorme para o investimento português na Costa do Marfim e vice-versa. Para os empresários, o tempo é importante e agora terão apenas quatro horas e meia de viagem, quando, antes, demoravam quase 12 (via Marrocos, onde se fazia uma escala de sete horas)", sublinhou Kofi.

A 22 de junho de 2016, a Costa do Marfim elevou de consulado para embaixada a representação diplomática em Lisboa, na presença do primeiro-ministro marfinense, Daniel Kablan Duncan, que destacou, então, a necessidade de as duas capitais estarem ligadas por voos diretos.

Hoje, nas declarações à Lusa, o diplomata marfinense em Lisboa relembrou que, durante a visita de Daniel Duncan a Portugal, Lisboa e Abidjan concordaram na criação de uma "parceria económica estratégica", algo que, disse Kofi, tem tido um grande desenvolvimento neste último ano.

Prova disso, acrescentou, têm sido as várias missões empresariais portuguesas a Abidjan e marfinenses a Lisboa, que já abriram portas a inúmeras parcerias em áreas como a construção civil, vinhos, queijos, maquinaria agrícola ou equipamentos hospitalares, entre outras.

Kofi realçou que as trocas comerciais entre Portugal e a Costa do Marfim ascendem já a mais de 1.000 milhões de Francos CFA (cerca de 1,5 milhões de euros), o que considerou "manifestamente pouco, face ao potencial existente".

Há cerca de um ano, salientou, existia perto de uma centena de cidadãos portugueses a residir na Costa do Marfim, número que quase duplicou, prevendo-se que, em breve, possam chegar ao meio milhar quando as ligações aéreas se forem consolidando.

Portugal está presente na Costa do Marfim com as empresas Bial (farmacêutica) Águas em Processo (albufeiras de água potável), Mario (construção) e Mobpro (telecomunicações), bem como com a MCGI-Technologie, filial do grupo português JP.

Para assinalar a retoma dos voos diretos entre as duas capitais, que serão quatro semanais no inverno e cinco no verão, Abidjan receberá, de segunda a quarta-feira, uma mostra de produtos portugueses, na presença do diplomata marfinense colocado em Lisboa, que viajará no voo inaugural, já esgotado.

Paralelamente ao voo para Abidjan, a transportadora aérea portuguesa TAP irá inaugurar, também na segunda-feira, a ligação direta a Lomé (Togo), via Acra (Gana), voo que está também esgotado.

A inauguração da embaixada marfinense em Lisboa ocorreu 27 anos depois de Portugal ter aberto a embaixada em Abidjan, a 22 de novembro de 1989, dois dias antes da única visita de um chefe de Estado português à Costa do Marfim (pelo então Presidente Mário Soares), e 40 anos após o estabelecimento de relações diplomáticas, a 29 de janeiro de 1975.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon