Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Wall Street fecha em baixa por incerteza sobre reformas de Trump e crise coreana

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/09/2017 Administrator

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em baixa acentuada, com os investidores, no regresso de um longo fim de semana, afetados pelo intensificar de tensões associadas à Coreia do Norte e pelas incertezas sobre as reformas económica em Washington.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average cedeu 1,07% (234,25 pontos), para as 21.753,31 unidades, e o Nasdaq 0,93% (59,76), para as 6.375,57.

O índice alargado S&P500 desvalorizou 0,76% (18,70), para os 2.457,85 pontos.

Sem indicadores nem relevantes resultados de empresas, "os investidores consideram a geopolítica e os riscos potenciais associados às tensões relativas à Coreia do Norte", avançou Bill Lynch, da Hinsdale Associates.

Depois de um sexto ensaio nuclear do regime de Pyongyang, os EUA exigiram à Organização das Nações Unidas as medidas "mais fortes possíveis" para sancionar a Coreia do Norte, enquanto a Federação Russa multiplicou hoje os avisos para as consequências da linha preconizada por Washington.

"Há um receio credível de ver as tensões com a Coreia do Norte permanecer no espírito dos investidores de maneira permanente, o que desencadeia um movimento no sentido dos ativos considerados mais seguros", considerou Art Hogan, da Wunderlich Securities.

"Soma-se a isto a possibilidade de deceção em relação ao que (os responsáveis políticos de Washington) vão ser capazes ou não de fazer", avançou.

Antes de poder abordar a questão da reforma fiscal, o Congresso vai ter de adotar o orçamento e resolver o problema do limite da dívida, tudo em contexto de novas turbulências políticas, depois da decisão da Casa Branca de terminar o programa do anterior presidente, Barack Obama, que permitiu a centenas de milhares de jovens indocumentados permanecer nos EUA.

Os índices bolsistas estiveram também sob pressão, segundo Phil Davis, da PSW Investments, do regresso às salas de mercado de numerosos operadores, depois da última semana de férias de verão e de um fim-de-semana prolongado.

"O Dow Jones, o S&P 500 e o Nasdaq não pararam de subir durante as últimas sessões, apesar de os volumes de trocas serem fracos", explicou. "Aos níveis atuais, os títulos simplesmente não encontram compradores".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon