Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Yellen defende regulação e pede que "lição" da crise não seja esquecida

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/08/2017 Administrator

A presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, afirmou hoje que o sistema financeiro norte-americano é "substancialmente mais seguro" graças ao reforço da regulação e advertiu para o risco de ser esquecida a "lição" da crise de 2008.

"Graças às reformas que fortaleceram o nosso sistema financeiro e com apoio da política monetária e outras medidas, o crédito está disponível em boas condições e os empréstimos progrediram com a atividade económica, contribuindo para um reforço da economia de hoje", disse Yellen, numa intervenção na reunião de dirigentes de bancos centrais de Jackson Hole (Wyoming).

A presidente da Fed, que não se referiu à atual política monetária, sublinhou que se "esta lição" permanecer na memória, "juntamente com o doloroso custo causado pela crise" e se atuar em conformidade há "razões para crer que o sistema financeiro terá menos crises".

Yellen salientou que o sistema financeiro está agora "substancialmente mais seguro".

As declarações da presidente da Fed surgem depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, e alguns administradores de grandes entidades de Wall Street, como Jamie Dimon, do JP Morgan, terem defendido que há um excesso de regulação que está a ser aplicado ao sistema financeiro após a crise e que trava a expansão da economia e do crédito.

"Qualquer ajustamento que venha a ser feito na regulação deve ser modesto e preservar o aumento da resistência", defendeu a dirigente do banco central norte-americano.

Trump marcou como um dos pontos centrais da sua agenda económica a revogação da Lei Dodd-Frank de 2010, que prevê o aumento da supervisão e da exigência de capital aos grandes bancos.

A lei em causa entrou em vigor durante o mandato de Barack Obama e Trump tem defendido que sem ela a economia pode crescer acima de 3%.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, também discursa hoje na reunião de Jackson Hole, um encontro que decorre anualmente no verão nos Estados Unidos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon