Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Conceição e o sucesso: «Precisas de ser apaixonado pelo que fazes»

Logótipo de MaisFutebol MaisFutebol 12/09/2018 Redação Maisfutebol
Imagem: Lusa © Maisfutebol Imagem: Lusa

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, antevê «um grupo muito equilibrado» para os azuis e brancos na fase de grupos da Liga dos Campeões e reconhece que «qualquer equipa pode vencer o grupo ou terminar em último».

«É similar ao da época passada. Vamos defrontar o campeão turco, o segundo classificado do campeonato alemão e o campeão russo. As equipas têm nível semelhante e a qualificação vai ser mais difícil devido a esse cenário», antecipou Conceição, em entrevista ao magazine da Liga dos Campeões da UEFA, publicada antecipadamente em excerto pelo FC Porto.

Recorde-se que os dragões defrontam Lokomotiv Moscovo, Schalke 04 e Galatasaray na fase de grupos da liga milionária.

O atual técnico campeão nacional repassou ainda os pergaminhos para o sucesso no futebol, salientando a «paixão» necessária.

«Antes de mais, os jogadores precisam de ter qualidade. É fundamental. Porém, há um aspeto crucial para chegar ao nível mais alto: paixão pelo jogo. Precisas de ser apaixonado pelo que fazes, sobretudo os jogadores de futebol e a sua abordagem ao treino. Quero os meus jogadores apaixonados pelo jogo», referiu Conceição, que lembrou alguns ídolos de infância e colegas de equipa, salientando… João Pinto.

«Gostava muito de Diego Maradona. Como jogador, eu era muito rígido e disciplinado, mas o futebol também precisa de um pouco de irreverência e ele personificava essa irreverência. Quando fui para o FC Porto aos 16 anos, passei a admirar jogadores como João Pinto, Jaime Magalhães, Fernando Gomes ou Madjer», enumerou.

«Joguei com grandes jogadores como Ronaldo, Vieri, Cannavaro, Buffon, Simeone e Nesta. Na minha primeira passagem pelo FC Porto como jogador, gostava de destacar o João Pinto. Não era forte tecnicamente, mas encarnava o espírito do clube», justificou.

AdChoices
AdChoices

More From MaisFutebol

image beaconimage beaconimage beacon