Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Benfica, Porto, Sporting, Primeira Liga, Liga dos Campeões, Cristiano Ronaldo, Mourinho

"O meu pai batia-me, cuspia-me, puxava-me o cabelo e insultava-me"

Logótipo de SIC NotíciasSIC Notícias 13/11/2017 SIC

A tenista Jelena Dokic denunciou os abusos que sofreu por parte do pai durante 13 anos. De acordo com a autobiografia da antiga campeã de ténis, o pai cuspia-lhe, agredia-a fisicamente, com pontapés e puxões de cabelo, e verbalmente. A tenista nascida na Croácia e naturalizada australiana revelou ainda que uma vez chegou a desmaiar com as agressões.

Jelena Dokiv descreveu Damir Dokic, mentor desportivo da tenista, como "um pai do ténis que veio do inferno".

"O meu pai batia-me, cuspia-me, puxava-me o cabelo e insultava-me" © Tim Wimborne "O meu pai batia-me, cuspia-me, puxava-me o cabelo e insultava-me"

No livro, a australiana de 34 anos revelou que as agressões começaram quando pegou na raquete de ténis, aos seis anos. Contudo, não eram só as agressões físicas a que esteve sujeita até aos 19 anos, altura em que conseguiu escapar às mãos de Damir Dokic e fugiu de casa, deixando para trás todo o dinheiro que tinha ganho. A tenista sofria também com as agressões verbais.

Segundo o The Sun, Damir Dokic foi banido do circuito feminino de ténis durante seis meses, em 2000, após uma série de explosões de raiva nos courts. O pai esteve ainda envolvido num confronto físico com a equipa de filmagem, no Open de Austrália, e foi expulso de Winbledon depois de destruir um telemóvel de um jornalista.

Damir Dokiv vive na Sérvia e foi detido em 2009, depois de ameaçar o embaixador australiano daquele país com uma granada.

"Não foi a dor física que me magoou mais, mas sim a dor psicológica", revelou a tenista, citada pelo jornal inglês. "Ele disse que eu era uma desgraça e uma vergonha e que não podia ir para casa."

Aos 17 anos, sem lugar algum para onde ir, Jelena Dokiv teve de inventar lugares para dormir à noite e para passar o tempo, sem ser em casa.

A tenista recorda a pior agressão física da parte do pai, que aconteceu em 2000, depois de perder na primeira ronda no Open do Canadá. "É uma memória horrível que vai ficar comigo para sempre... Acabei por desmaiar, ele bateu-me mesmo muito."

"Quanto melhor jogava, pior ele ficava. O que é aquilo que não percebo."

O melhor do MSN em qualquer dispositivo


Astros: o que pode acontecer esta semana?

A SEGUIR
A SEGUIR

Siga o MSN nas redes sociais


AdChoices
AdChoices

Mais do SIC Notícias

image beaconimage beaconimage beacon