Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Júlia, a primeira personagem autista da "Rua Sésamo"

Logótipo de Diário de Notícias Diário de Notícias 20/03/2017 DN/Lusa

A "Rua Sésamo", um dos programas infantis mais populares em todo o mundo, vai contar com uma nova personagem, chamada Júlia, que representa uma menina autista, anunciaram os responsáveis do programa.

A guionista, Christine Ferraro, anunciou a aparição da nova personagem numa entrevista na noite de domingo ao canal norte-americano CBS.

© Youtube

A imagem de Júlia já figura nas ilustrações impressas e digitais da série infantil criada nos Estados Unidos, que cumpriu 50 anos de emissão.

O "Monstro das Bolachas" e o "Óscar" terão uma nova amiga, uma menina com cabelo cor-de-laranja que vai chamar-se Júlia. A nova personagem da "Rua Sésamo" vai fazer a sua estreia nos programas que as cadeias televisivas norte-americanas HBO e PBS vão emitir a partir do início de abril.

"A grande discussão [dentro do programa] desde o princípio foi: 'Como fazemos isto, como falamos de autismo?'", explicou Ferraro ao programa "60 Minutos" da CBS News.

"É complicado porque o autismo não se manifesta de uma única forma, é diferente para cada pessoa", sublinhou a guionista.

Na sua primeira aparição na televisão como fantoche, Júlia vai mostrar algumas características que são comuns às crianças com autismo, será apresentada a um dos principais personagens, ao "Poupas", mas ignorá-lo-á.

Confundido com a reação da pequena, o "Poupas" vai pensar que a menina não gosta dele, mas outros personagens da série irão rapidamente explicar-lhe que a menina é diferente e faz as coisas de forma distinta.

A intenção dos criadores da série infantil é que o papel de Júlia tenha bastante relevância no programa.

Os diagnósticos de autismo aumentaram de forma constante nos últimos anos nos Estados Unidos, até uma taxa de uma em cada 68 crianças nascidas no país, segundo dados dos Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças, citados pelos responsáveis da "Rua Sésamo".

VEJA AQUI OS VÍDEOS

AdChoices
AdChoices

Mais do Diário de Notícias

AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon