Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Os 25 cargos mais absurdos que a tecnologia conseguiu criar

Logótipo de Expresso Expresso 18/05/2019 Catia Mateus

São reais, ocupados por profissionais de carne e osso e alguns bastante difíceis de traduzir para português (como qualquer bom cargo tecnológico). No texto que a seguir vai ler tentamos explicar-lhe o que faz um Alquimista de Sonhos, um Jedi do Retalho, um CEO do Coração e por que razão é tão importante para uma empresa tecnológica ter um concierge que trata da felicidade dos funcionários ao fim-de semana.

Nas últimas décadas a tecnologia fez surgir uma série de carreiras estranhas, mas há uma razão para a sua existência © FOTO GETTY IMAGES Nas últimas décadas a tecnologia fez surgir uma série de carreiras estranhas, mas há uma razão para a sua existência

Pode a designação de um cargo ter um efeito semelhante ao de uma promoção ou um incremento salarial? Pode. Pelo menos esse é o argumento da plataforma americana de recrutamento Indeed.

O conhecido motor de busca conduziu uma pesquisa junto dos anunciantes e dos profissionais que utilizam a plataforma para procurar emprego e constatou que “embora as funções sejam as mesmas das desempenhadas por engenheiros ou designers de software, para alguns profissionais ser considerado um ninja ou um rockstar na sua função, é um privilégio tão motivador como um incremento salarial, sobretudo em início de carreira”.

De acordo com a plataforma, “à medida que as empresas competem para atrair o talento tecnológico controlado por Silicon Valley, a meca da tecnologia, os títulos dos cargos utilizados em carreiras do sector vão ficando progressivamente mais estranhos”. A consultora CB Insights comprova-o. Os seus especialistas vasculharam o mercado tecnológico à procura dos profissionais com os cargos mais estranhos. O resultado foi uma lista de 25 funções, todas reais e, defendem, determinantes no contexto de negócio da empresa.

1. EVANGELISTA DE INOVAÇÃO

“Quer a SAP quer a Google recrutaram evangelistas de inovação nos últimos anos”, avança a CB Insights para justificar aquele que é um dos novos cargos gerados pela tecnologia. Qual é a sua missão e o seu papel na empresa? A descrição da função no LinkedIn revela que é “unir as lideranças e as equipas no compromisso de potenciar a criatividade e capacidade de inovação dos profissionais da empresa”.

2. ALQUIMISTA DE SONHOS

Podíamos chamar-lhe diretor criativo ou responsável de marketing, mas tecnológicas como a QuickStep preferem chamar-lhes alquimistas de sonhos. Basta uma pesquisa no LinkedIn para perceber que esta não é a única posição de alquimista por ai. Há alquimistas de desenvolvimento de soluções ou produtos, de design, de inovação (falamos deles mais abaixo) em empresas como a Critical TechWorks, a Together Abroad ou outras.

3. CONCIERGE DA FELICIDADE PARA OS FINS-DE-SEMANA

Não há grandes dúvidas sobre a importância do papel do concierge ao longo da história. Em muitas cortes europeias eles atuavam como assistentes pessoais do rei que lhes reconhecia a responsabilidade de “manter em ordem o funcionamento das coisas”. Segundo a CB Insights, a versão moderna deste cargo é garantir o apoio aos clientes. E foi a pensar nisso que a empresa de design Crew criou a função de concierge da felicidade para os fins-de-semana. Tudo porque para a empresa “a felicidade dos clientes é um trabalho continuo, sete dias por semana, e não para aos fins-de-semana”.

4. ENGENHEIRO DA FELICIDADE

Semelhante a um engenheiro de suporte, a função do engenheiro da felicidade passa por “ajudar as pessoas a utilizar os produtos da empresa”, bem como identificar possíveis bugs no processo e sugerir a sua correção, a partir de relatórios detalhados. O engenheiro da felicidade existe em empresas como a Automaticc e tem ainda como missão construir uma comunidade de suporte compartilhando conhecimento e ajudando os membros da equipa em todo o mundo.

5. SGV (SCALALE VECTOR GRAPHICS) ‘BADASS’

Na lista das designações estranhas, esta é a menos comum entre os trabalhadores das tecnologias. A tradução literal do termo (rufia) não se aplica, mas a Potentia Labs acredita que a designação é a melhor para descrever as incumbências do cargo: “é preciso ser um fanático da linguagem de construção de gráficos vetoriais escaláveis para trabalhar connosco”. Na descrição da função a empresa diz procurar alguém “com capacidade e experiência excecionais na criação, manipulação e animação de código SVG. Se escreve um código magistral e não tem medo de pensar fora da caixa, é quem procuramos”, pode ler-se na página do LinkedIn.

6. NINJA DO TEMPO

É uma outra forma de designar um coordenador de recursos humanos. Pelo menos para a Chewy, a empresa que se dedica ao comércio online de artigos para animais. Os candidatos, diz, devem ter “experiência em configuração e manutenção, relatórios e apoio a equipas de gestão de recursos humanos e tecnologias de informação e implementação de projetos nestas áreas”.

7. ALQUIMISTA DA INOVAÇÃO

Numa combinação com o alquimista dos sonhos, o alquimista de inovação existe na US Alliance e é responsável pela modernização dos processos bancários digitais tradicionais. É uma função que pode ser exercida por quem detenha um a dois anos de experiência em aplicativos Web e formação em ciências da computação ou tecnologias de informação.

8. PRINCESA DA SEGURANÇA

Em 2015 Parisa Tabriz integrou — como engenheira de segurança da informação — a equipa da Google para trabalhar focada em encontrar falhas no navegador Google Chrome. Numa conferência em que participou, em Tóquio, ela equiparou o cargo ao de princesa da segurança. Hoje é diretora sénior de engenharia na Google, responsável pelo navegador Chrome. O seu novo apelido é “chefe do navegador”.

9. JEDI DO RETALHO

Os novos profissionais das vendas que asseguram a gestão de clientes são, em várias empresas tecnológicas, conhecidos como os Jedi do Retalho. A pesquisa da Indeed encontrou posições abertas para este cargo em tecnológicas como a Cisco, mas também na Crossroads Technologies.

10. ‘NINGENHEIROS’ DE SOFTWARE

Referir-se aos seus profissionais como ninjas parecia pouco para a startup financeira Tsheets. Por isso, a empresa criou o papel de ninjaneer (ningenheiro) de sotfware para enaltecer o papel dos seus engenheiros e justificou-o: “O desenvolvimento de software é uma forma de arte misteriosa e antiga.”

11. COWBOY DE IMPOSTOS

Falar de um cowboy de impostos dentro de uma organização é o mesmo que falar de um coordenador de impostos. A sua função passa por acompanhar as transações financeiras da empresa e vendas a países estrangeiros e aplicar os regulamentos tributários em conformidade.

12. NINJA DE MARKETING DIRETO

Os Ninjas eram forças temidas no Japão feudal, assumindo o papel de mercenários. O ninja dos tempos modernos tem um papel mais modesto em várias empresas tecnológicas. A startup CustomerBloom, por exemplo, criou o cardo de Ninja do Marketing Direto para designar os profissionais que arquitetam estratégias de marketing direto eficazes e orientadas para os objetivos do cliente.

13. HERÓI DE CONTEÚDOS

A FreedomFormula descreve seu herói de conteúdos como alguém que “tem a capacidade de aprender rapidamente como gerir um negócio online bem sucedido” e procura “autonomia e responsabilidade”.

14. BIBLIOTECÁRIO DE MEMES

Se as rotinas de um herói de conteúdos é demasiado acelerado para sim talvez possa ponderar o cargo de bibliotecário de memes. O que faz? No Tumblr, onde foi inventado, designação é usada para descrever o papel ocupado pela pesquisadora de fandoms (subculturas de fãs) e tendências Amanda Brennan. O Tumblr utiliza os dados recolhidos pela equipa de para compreender melhor as comunidades, os idiomas e as interações na plataforma.


15. DIRETOR DE FELICIDADE

O conceito de felicidade organizacional entrou na cultura da empresas no século passado e veio para ficar. Algumas empresas atribuem-lhe, contudo, maior importância do que outras. É o caso da Oh My Green que contratou um diretor de felicidade. A função é em tudo similar à de um diretor de operações — gerir as operações da empresa proporcionando uma experiência agradável aos clientes — mas a designação do cargo faz a diferença.

16. ANALISTA DE OTIMIZAÇÃO DE CONVERSAÇÕES

Os requisitos e responsabilidades de um analista de otimização de conversões ou de sites estão em linha com os exigidos para uma qualquer função de análise de dados numa empresa de tecnológica. Estes profissionais ajudam os gestores de produto web e produtores de conteúdos a otimizar a sua mensagem e valor.


17. VICE-REI GALÁCTICO DA EXCELÊNCIA NA INVESTIGAÇÃO

Este cargo tem um nome: James Mickens, o antigo galactic viceroy of Research Excellence da Microsoft. O investigador que assegurou até 2015 a excelência da investigação produzida ela tecnológica. Diz quem o conhece que a intensidade e o humor do título eram adequados à sua personalidade.

18. SHERPA DA INOVAÇÃO

Tal como os sherpas que ajudam os montanhistas a escalar o Everest, os sherpas da inovação ajudam os executivos e líderes empresariais a descobrirem a inovação que está a ser produzida na sua área de negócio, apoiando o seu desenvolvimento interno.

19. PROFETA DIGITAL

“Profeta Digital” era o cartão de visita do australiano David Shing, que assumiu o cargo no AOL em 2011. Shing era participante assíduo em conferências e eventos tecnológicos em todo o mundo, escreveu dezenas de artigos sobre os avanços da tecnologia e o impacto nos negócios.

20. CHIEF HEART OFFICER (CEO DOS CORAÇÕES)

O cargo foi criado em 2014 na VaynerMedia, quando Claude Silver se tornou a primeiro CEO dos Corações na empresa. Na altura, a líder enfatizou que assumia a gestão de recursos humanos e das pessoas como um cardiologista que analisa o correto funcionamento do coração. “Um diretor de recursos humanos é diretor de pessoal, de talento, de cultura, de inspiração. É tudo junto”.

21. GUERREIRO DE MARCAS

Em 2015, a StarTek Inc. contratou quase 700 guerreiros de marcas para o seu call center, profissionais encarregues de vender telefonicamente a marca ao público. Hoje, uma pesquisa simples no LinkedIn revela milhares de funções com o termo warrior (guerreiro, em inglês).

22. FEITICEIRO DE IDEIAS

É um diretor de Marketing. Alguém que cruza ideias e que faz magia a vender uma imagem ou um produto.

23. DEUS DO MARKETING DIRETO

Traduzir este cargo por especialista em marketing direto é pouco. Um Deus do marketing direto domina a sua área de uma forma quase sobrenatural. É visto como uma divindade entre os seus pares, reconhecido pela sua excelência e eficácia.

24. MAGO DE FULL STACK

Um mago de Full Stack faz exatamente a mesma coisa do que um engenheiro de stack, “escrever bons códigos, sustentáveis e testáveis” e “projetar sistemas de software totalmente funcionais”. Mas na Influence Health, empresa que pela primeira vez utilizou a expressão “mago de Full Stack” para designar esta função, esperam que os candidatos façam magia.

25. HUMILDE DESIGNER DE PRODUTO

Quando a empresa empresa de software de gestão orçamental You Need a Budget decidiu recrutar um designer de produto, entendeu que precisava de alguém que fosse seguro de si, mas humilde o suficiente para trabalhar em equipa e ouvir outras ideias. O requisito era de tal forma determinante para a função, que justificou que o cargo fosse renomeado.

AdChoices
AdChoices

Mais de Expresso

image beaconimage beaconimage beacon