Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Sporting afunda após derrota que ditou saída de Peseiro. Ações caem mais de 5%

Logótipo de ECO.PT ECO.PT 01/11/2018 Paulo Moutinho
© Fornecido por ECO - Economia Online © Swipe News, SA © Fornecido por ECO - Economia Online

Está a ser negativa para a bolsa nacional, que contraria as praças europeias. A Galp Energia pressiona o PSI-20, enquanto fora o índice principal o destaque vai para a SAD verde e branca. As ações do Sporting afundam depois da derrota frente ao Estoril que ditou o despedimento de José Peseiro.

De acordo com o jornal desportivo A Bola, Frederico Varandas transmitiu a decisão de avançar com a demissão ao técnico português depois da derrota por 1-2 consentida esta quarta-feira diante do Estoril-Praia, a contar para a segunda jornada da Taça da Liga. Na primeira reação ao resultado, mas também à saída de Peseiro, os títulos recuam 5,41% para 70 cêntimos.

Fora do índice principal, e com as restantes SAD sem negociação, há ainda outra cotada em destaque: a Raize. A empresa portuguesa que recentemente entrou no mercado de capitais português após uma oferta pública de venda (OPV) em que vendeu cada título a 2,00 euros, está a afundar quase 10%. Está no valor mais baixo de sempre, a cotar nos 1,64 euros.

Esta tendência negativa regista-se também entre as grandes cotadas da bolsa nacional. A Galp Energia destaca-se ao perder 2,79% para os 14,965 euros, seguida pela EDP Renováveis que recua 0,38% para 7,91 euros. A EDP, por seu lado, apresenta um ganho de quase 1% que impede uma descida mais expressiva do PSI-20.

O índice português contraria os ganhos das restantes praças europeias, cedendo 0,16% para 5.022,61 pontos, castigado também por empresas como a Navigator e a Altri. A empresa de pasta e papel co-liderada por Paulo Fernandes recua 0,13% apesar de ter revelado um aumento expressivo nos lucros.

A Ramada, por seu lado, lidera as subidas no PSI-20. Está a ganhar 5,62% para 9,40 euros apesar de ter lucrado menos nos primeiros nove meses do ano. No entanto, avançou com uma proposta de distribuição antecipada de lucros, prevendo entregar um dividendo extraordinário de 1,15 euros por ação.

Além da EDP, também o BCP, com uma subida de 0,76% para 24 cêntimos, e a Jerónimo Martins dão algum suporte ao índice de referência nacional. A dona do Pingo Doce está a recuperar ligeiramente da forte queda registada na primeira sessão após a apresentação das contas dos primeiros nove meses.

(Notícia atualizada às 10h46 com mais informação)


Veja também: Estas foram as últimas palavras de Peseiro no Sporting

O que ver a seguir
A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais de Eco.pt

image beaconimage beaconimage beacon