Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Finanças pessoais, negócios, carreira e luxo

Intermediários bancários poderão ter que reportar esquemas fiscais dos clientes

Logótipo de Dinheiro Vivo Dinheiro Vivo 19/06/2017 Marta Velho / Dinheiro Vivo

A Comissão Europeia quer obrigar os bancos e os intermediários, como gestores ou assessores bancários, a reportarem às autoridades os esquemas fiscais e movimentações suspeitas dos clientes, indica o El País. A proposta implica a criação de um mecanismo comum que detete potenciais situações de evasão fiscal, de forma a evitar escândalos como o Panama Papers e Football Leaks.

A medida pretende incidir sobretudo nos serviços de apoio a empresas e detentores de grandes fortunas, que tenham como objetivo a fuga ao fisco, através de transferências de capital transfronteiriças. Bruxelas quer que os estados-membros multem as companhias e instituições que não colaborem e não prestem a informação num prazo de cinco dias.

Fontes próximas do processo indicam que a solução comunitária foi pedida pelos governos nacionais, a quem atualmente compete, de forma exclusiva, o acompanhamento das questões de fuga fiscal. A Comissão Europeia apresentará a proposta na quarta-feira.

“Apesar de algumas atividades poderem ter objetivos inteiramente legítimos, outras poderão ser menos legítimas e, nalguns casos, ilegais”, argumenta um porta-voz. Os dados de Bruxelas indicam que o fraude e evasões fiscal custam mil milhões de euros anuais às contas públicas dos países.

© Fornecido por Dinheiro Vivo
AdChoices
AdChoices

Mais do Dinheiro Vivo

image beaconimage beaconimage beacon