Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Finanças pessoais, negócios, carreira e luxo

Neste país os ricos ficam cada vez mais ricos

Logótipo de ECO.PT ECO.PT há 5 dias Bloomberg
© Fornecido por ECO - Economia Online © Swipe News, SA © Fornecido por ECO - Economia Online

Em todo o mundo, o número de milionários e bilionários cresce juntamente com o valor de suas ações. E, embora o crescimento económico tenha diminuído, os ricos conseguiram uma fatia maior da riqueza mundial.

Globalmente, aproximadamente 18 milhões de famílias possuem uma riqueza de mais de um milhão de dólares, de acordo com um relatório da Boston Consulting Group (BCG). Os ricos representam apenas 1% da população mundial, mas detêm 45% da riqueza mundial de 166,5 biliões de dólares. E vão controlar mais da metade da riqueza do mundo até 2021, segundo a BCG.

Mas a crescente desigualdade não é uma surpresa. Muitos dados mostram que, nas últimas décadas, os ricos têm recebido fatias cada vez maiores de riqueza e salário — especialmente nos EUA, onde os lucros das empresas atingem recordes enquanto os salários da força de trabalho continuam estagnados.

Ler Mais Estes oito multimilionários têm metade da riqueza mundial

Na verdade, enquanto a desigualdade global acelera, nos EUA avança de vento em popa. A parte do salário que vai para o 1% do topo nos EUA mais do que dobrou nos últimos 35 anos, depois de ter caído nas décadas posteriores à Segunda Guerra Mundial (quando os ricos foram altamente tributados, com taxas de dois dígitos). A maré mudou na década de 1980, durante o governo do presidente republicano Ronald Reagan, uma década em que a economia testemunhou a queda dos impostos para os ricos, uma menor adesão aos sindicatos e picos dos mercados de ações.

Agora, as políticas do país ajudaram a colocar 63% da riqueza privada dos EUA nas mãos dos milionários e bilionários americanos, afirma a consultora. Em 2021, a contributo desta camada da população para a riqueza do país vai aumentar para cerca de 70%.

Ler Mais 500 mais ricos, cada vez mais ricos. Américo Amorim na lista

A riqueza do mundo “ganhou impulso” no ano passado, conclui a BCG, aumentando 5,3% globalmente de 2015 para 2016. A empresa projeta que o crescimento aumentará para cerca de 6% ao ano nos próximos cinco anos, tanto nos EUA quanto no mundo. Mas grande parte disso vai acontecer devido aos ricos: é que a riqueza de todos os outros cresce muito pouco.

As mudanças políticas poderiam aumentar ainda mais a riqueza dos milionários americanos. Após as eleições de 2016, as ações dos EUA subiram porque os investidores esperavam que o presidente republicano Donald Trump e um congresso concordariam em eliminar as regulamentações e reduzir os impostos das empresas. Os ricos também podem conseguir uma redução tributária. Por exemplo, a American Health Care Act (Lei Americana de Cuidados com a Saúde), aprovada pela Câmara dos Deputados dos EUA para revogar e substituir o Obamacare, inclui a eliminação de impostos pagos quase exclusivamente por apenas 1% da população.

“Ninguém sabe” que tipo de mudanças tributárias se tornarão lei, disse Bruce Holley, sócio sénior da BCG. No entanto, “isso poderia impulsionar o [crescimento da riqueza dos EUA] que estamos a prever”.

AdChoices
AdChoices

Mais de Eco.pt

image beaconimage beaconimage beacon