Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

CTT. E se o seu correio caísse do céu?

Logótipo de ECO.PT ECO.PT 18/05/2017 Juliana Santos
© Fornecido por ECO - Economia Online © Swipe News, SA © Fornecido por ECO - Economia Online

Os CTT e a Connect Robotics testaram um percurso de entrega de correspondência e os resultados prometem revolucionar esta atividade.

O seu correio pode passar a vir pelos ares. Os CTT testaram, durante três dias, o serviço de entrega de correio por drone em parceria com a startup portuguesa Connect Robotics, especialista neste ramo.

O percurso de teste foi de três quilómetros e foi feito em cerca de sete minutos. O voo teve como ponto de partida o Centro de Distribuição dos CTT e terminou na sede da empresa, no Parque das Nações, onde voou mais baixo devido a restrições. Este ensaio contou com a autorização da Autoridade Nacional da Aviação Civil.

Para a Connect Robotics, esta experiência poderá ser o início de uma revolução. “O nosso serviço é, sem dúvida, uma mais-valia para a distribuição de cartas ou encomendas. Um drone é mais rápido, mais silencioso, menos dispendioso e ninguém tem de perder tempo para se deslocar. Acreditamos que este será o método mais utilizado para a distribuição de pequena mercadoria, no futuro.”, afirma Eduardo Mendes, CEO da startup.

CTT. E se o seu correio caísse do céu? © Swipe News, SA CTT. E se o seu correio caísse do céu?

Ler Mais Regras para os drones: eis o que precisa saber

A empresa já tinha desenvolvido outras parcerias inéditas, nomeadamente a “Marmita Voadora” que, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia e a Câmara Municipal da Penela, entregou refeições ao último e único habitante da aldeia de Podentinhos, em Penela.

O melhor do MSN em qualquer dispositivo


Bosh vai contratar mais 500 pessoas para a fábrica de Braga (SIC Notícias):

A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais de Eco.pt

image beaconimage beaconimage beacon