Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Finance - Top Stories - Finanças pessoais, negócios, carreira e luxo

Idade da reforma pode chegar aos 80? Cavaco Silva acredita que sim

Logótipo de ECO.PT ECO.PT há 6 dias ECO

Aníbal e Maria Cavaco Silva © Swipe News, SA Aníbal e Maria Cavaco Silva Para o ex-Presidente da República, é possível estender a idade da reforma até aos 80 anos, se a esperança média de vida continuar a aumentar. Em entrevista à Renascença, olhando para o futuro, Cavaco Silva não acredita que o país tenha “capacidade para remunerar de forma suficiente” e atrair “os profissionais de que venha a necessitar”.

Uma das conclusões de um estudo publicado na última semana sobre a insustentabilidade da Segurança Social nos próximos 50 anos aponta para o aumento da idade da reforma para os 69 anos. Para o ex-Presidente da República, essa é uma conclusão que não o surpreende: “A previsão é de que, daqui a não muitos anos, mas com certeza depois de 2030, as reformas passem a situar-se e um nível bastante superior aos 65 anos que até aqui se conheciam. Fala-se mesmo que, perto de 2050, as reformas passem a situar-se não muito longe dos 80 anos”.

Questionado sobre o facto de vários especialistas defenderem que, em vez de se prolongar a idade da reforma se deve substituir a queda da população ativa pela maior entrada de emigrantes de países onde a esperança de vida é muitíssimo menos, Cavaco Silva respondeu que, em alguns países, “a captação de talentos de outros países tem sido utilizada para cobrir uma falta de técnicos profissionais nalgumas áreas”.

Mas, para Portugal, o cenário não é assim tão simples, explicou: “Portugal não tem capacidade para remunerar de forma suficiente para atrair os profissionais de que venha a necessitar”.

Cavaco Silva não acredita que os “refugiados que estão a chegar à Europa possam resolver o problema de Portugal”, não só porque o país não está na rota dos emigrantes, mas também porque “muitos deles tentam escapar-se para outros países” assim que pisam território português. “O nosso problema tem de ser resolvido através de uma política muito forte de apoio à natalidade. Políticas que sejam capazes de convencer os casais a terem mais filhos. Tem que ser esse o caminho para um país como Portugal“.

Descarregue aqui a app Microsoft Notícias e esteja sempre a par do que se passa no país e no mundo a partir das fontes mais credíveis


A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais de Eco.pt

image beaconimage beaconimage beacon