Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Finance - Top Stories - Finanças pessoais, negócios, carreira e luxo

Luxemburgo vai ser o primeiro país a ter transportes públicos gratuitos

Logótipo de ECO.PT ECO.PT há 5 dias Rita Neto
© Fornecido por ECO - Economia Online © Swipe News, SA © Fornecido por ECO - Economia Online Com pouco mais de meio milhão de habitantes, Luxemburgo vai tornar-se no primeiro país do mundo a ter todos os transportes públicos gratuitos, escreve o The Guardian (conteúdo em inglês). A medida — que entrará em vigor no verão do próximo ano –, faz parte dos planos do Governo liderado por Xavier Bettel, que foi reeleito esta quarta-feira. Até à data, os transportes públicos eram gratuitos apenas para os jovens.

Andar de comboio, autocarro ou metro vai passar a ser totalmente gratuito. Esta quarta-feira, a coligação Gâmbia, formada pelo Partido Democrata, pelo Partido Socialista e pelos Verdes renovou o seu mandato — iniciado em 2013 –, por mais dez anos. Uma das promessas foi reforçar o investimento no ambiente e nos serviços públicos, nos quais se inclui a gratuitidade dos transportes públicos para todos.

A medida vai entrar em vigor no verão do próximo ano e a ideia é resolver o problema do congestionamento do trânsito, que acaba por ser um dos piores do mundo, devido à quantidade de pessoas que trabalha no Luxemburgo mas que mora nos países à volta. Com cerca de 600 mil habitantes, são quase 200 mil as pessoas vindas de França, Bélgica e Alemanha que cruzam diariamente a fronteira para trabalhar. De acordo com um estudo, citado pelo The Guardian, os condutores perderam uma média de 33 horas em engarrafamentos em 2016.

O pequeno país no meio da Europa tem demonstrado uma atitude cada mais preocupada em relação aos transportes. Este verão, o Governo implementou os transportes gratuitos para todas as crianças e jovens até aos 20 anos. Por cada duas horas de viagem, o bilhete custa dois euros.

Para além deste compromisso com os transportes, o Governo está ainda a considerar legalizar a canábis e introduzir dois novos feriados.

]]>
AdChoices
AdChoices

Mais de Eco.pt

image beaconimage beaconimage beacon