Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Minimalismo. Ou como decorar a casa com estilo sem gastar uma fortuna

Logótipo de idealista Autor: equipa de idealista | Diapositivo 1 de 8

Minimalismo. Ou como decorar a casa com estilo sem gastar uma fortuna

Queres ter uma casa única, confortável e sofisticada, mas sem gastares muito dinheiro? Na rubrica de hoje do idealista/news sobre home staging, assegurada pela Home Staging Factory, explicamos-te como sacar partido do estilo minimalista e damos-te várias dicas que te podem ajudar a ter a decoração que queres. Afinal, ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar os imóveis mais atrativos é o nosso objetivo.Costuma-se dizer que não se pode ter a manteiga e o dinheiro da manteiga.

Ainda assim no que toca a decoração, queremos ajudar-te a chegar a um ponto intermédio!Nascido no início do século XX, o minimalismo surgiu de uma série de movimentos artísticos e culturais, tendo por base a utilização apenas de elementos fundamentais. O design minimalista surgiu mais tarde, já na década de 80 e caraterizou-se pela criação de produtos, visualmente, reduzidos ao essencial, inclusive no uso da cor – essencialmente cores neutras ou até mesmo ausência de cor.Na decoração, o estilo minimalista é isso mesmo – ambientes cuidadosamente decorados apenas com o essencial, aliando a estética à funcionalidade.

A ideia é subtrair tudo aquilo que é desnecessário, o que está em excesso, ou não é estritamente necessário para ter um espaço funcional, bonito e confortável. É utilizar o espaço em branco da tela; é deixar que o mobiliário e as peças decorativas respirem e vivam individualmente como se estivessem expostas numa galeria de arte.Quando se trata de decoração na óptica do investimento, este movimento não poderia fazer mais sentido. Acreditamos que os espaços, para serem comercialmente apelativos e distintos devem apostar em poucas peças mas singulares e marcantes. Desta forma consegue-se mobilar com impacto sem gastar uma fortuna.

Por outro lado, em casas orientadas para o segmento do turismo, é importante que os ambientes sejam decorados com poucos objetos, cores neutras e com mobiliário o mais clean e funcional possível. Além de um ambiente que agrada a gregos e troianos, consegue-se poupar bastante nos custos de manutenção e limpezas.O estilo minimalista é, muitas vezes, confundido com o Industrial e Escandinavo, visto estes dois estilos apostarem também em ambientes depurados, visualmente muito limpos, cores neutras e objetos de linhas rectas.Para ajudar-te a poupar sem teres que apostar apenas nas marcas low cost e caíres no erro de ficares com uma casa igual a meio mundo aqui ficam algumas dicas.

© idealista/news

Mais do idealista

image beaconimage beaconimage beacon