Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

A Felix está a chegar. Quais os cuidados a ter?

Logótipo de Expresso Expresso 08/03/2018 Marta Gonçalves

Chuva muito forte, rajadas de vento e agitação marítima deixam o país em alerta nos próximos dias. O que pode acontecer e como pode prevenir eventuais acidentes? Proteção Civil alerta para a “possibilidade de fenómenos extremos”

Chuva, trovoadas, vento e agitação marítima a partir de hoje no continente © Miguel Vidal Chuva, trovoadas, vento e agitação marítima a partir de hoje no continente

Chama-se "Felix" a depressão que nos próximos dias vai deixar o paísem alerta devido à chuva, vento e agitação marítima.Porquê Felix? “Porque agora damos nomes a cada depressão com ventos dentro do limite do aviso laranja”, explica o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), esta quinta-feira. Todo o país vai estar sob aviso amarelo e laranja (o segundo e terceiro mais graves) até pelo menos ao começo da próxima semana.

Temos uma depressão associadaa um sistemafrontal e os efeitos começam a sentir-se a a partir desta sexta-feira de manhã, sobretudo a chuva.A véspera de fim de semana será o dia com mais precipitação.Depois os avisos amarelos e laranjas estendem-se para sábado e domingo devido aovento forte”, diz ao Expresso Madalena Rodrigues, meteorologista do IPMA.

Ao longo da madrugada desta sexta-feira, o estado do tempo vai agravar-se substancialmente, em especial no Minho e Douro Litoral, podendo também atingir os distritos de Vila Real, Viseu e Aveiro. “O período mais crítico a ocorrer depois entre as 15h e as 21h”, acrescenta a Proteção Civil, que alerta para a “possibilidade de fenómenos extremos”.

A Proteção Civil, em comunicado, deixa um alerta à população devido “ao agravamento da situação meteorológica”. Há possibilidade de as estradas ficarem escorregadias e de se formarem lençóis de água e gelo; no meio urbano podem acontecercheias devidoacumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem; e as zonas costeiras, que são mais vulneráveis, podem transbordar e provocar inundações.

Assim, deve assegurar que os escoamentos de águas estão desentupidos, conduzir com especial cuidado, não atravessar zonas inundadas, fixar estruturas soltas (por exemplo, andaimes, placards e outras estruturas suspensas), não praticar atividades relacionadas com o mar e ter atenção quando circular junto à costa, se possível evitar passar por estes locais.

Além de Portugal, a Felix irá também afetar Espanha e a parte oeste de França, seguindo depois a sua trajetória na direção nordeste para as ilhas britânicas.

A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais de Expresso

image beaconimage beaconimage beacon