Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Coreia do Norte vê sucesso de livro como um prenúncio da morte política de Donald Trump

Logótipo de ExpressoExpresso 11/01/2018 Lusa

A Coreia do Norte considera que a popularidade do livro "Fogo e Fúria: Dentro da Casa Branca de Trump", do jornalista Michael Wollf, é um "prenúncio da morte política" do Presidente dos Estados Unidos.

O livro do jornalista Michael Wolff "Fire and Fury: Inside the Trump White House" ("Fogo e Fúria: Dentro da Casa Branca de Trump") lançado na sexta-feira reúne uma série de revelações explosivas, resultado de mais de 200 entrevistas, incluindo as conversas entre Donald Trump e responsáveis da Casa Branca.

Esta quinta-feira, o principal jornal Rodong Sinmun do Norte, dirigido pelo Partido dos Trabalhadores, apresentou um artigo sobre o assunto do livro, salientando a forma como Donald Trump reagiu e porque as vendas são tão elevadas.

As vendas refletem "os sentimentos anti-Trump que cresceram rapidamente na comunidade internacional", é destacado no artigo, que salienta ainda que "Trump está a ser massivamente humilhado em todo o mundo".

O mesmo artigo realça que a popularidade do livro "prenuncia a morte política de Trump".

No verão passado, Trump ameaçou a Coreia do Norte com "uma fúria como o mundo nunca viu" numa troca de provocações, afirmando estar a examinar planos para lançar mísseis em direção ao território americano de Guam.

Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-un trocaram ameaças de guerra e insultos grosseiros, enquanto a Coreia do Norte realizava testes de mísseis nucleares de longo alcance.

Coreia do Norte vê sucesso de livro como um prenúncio da morte política de Donald Trump © ANDREW CABALLERO-REYNOLDS/GETTY Coreia do Norte vê sucesso de livro como um prenúncio da morte política de Donald Trump

O livro foi lançado na sexta-feira passada e já vendeu mais de 29 mil cópias, de acordo com o NPD BookScan, citado pela Associated Press.

As vendas digitais já são 250.000 e as vendas de áudio excedem 100.000, de acordo com John Sargent, o CEO da Macmillan, empresa-mãe da editora do livro.

Através de muitos testemunhos, na maioria anónimos e classificados pelo Presidente como fantasiosos, o autor do livro descreve um executivo disfuncional e um chefe de Estado alérgico à leitura, muitas vezes fechado nos seus aposentos a partir das 18h30, com os olhos cravados nos seus três ecrãs de televisão, multiplicando os telefonemas para um pequeno grupo de amigos, sobre quem verte "um dilúvio de recriminações" que vão desde a desonestidade da imprensa à falta de lealdade da sua equipa.

Todo o seu gabinete, segundo o autor, se interroga sobre a sua capacidade para governar.

No sábado, o Presidente norte-americano, Donald Trump, definiu-se como "um génio muito estável", numa tentativa de desvalorizar especulações sobre a sua capacidade e estabilidade mental que circulam em Washington após a publicação de um livro sobre a sua presidência.

"Na verdade, ao longo da minha vida, os meus dois grandes ativos têm sido a estabilidade mental e ser, tipo, mesmo esperto", disse Trump, numa mensagem publicada na rede social Twitter.

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon