Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

MH370: Quatro anos depois, buscas continuam e mistério persiste

Logótipo de Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto 08/03/2018 Fábio Nunes
No documento enviado aos familiares das vítimas, as autoridades malaias afirmam que vão esperar até junho, quando terminam as buscas mais recentes. Quatro anos depois do avião ter desaparecido permanece o mistério.: MH370: Quatro anos depois, buscas continuam e mistério persiste © Reuters MH370: Quatro anos depois, buscas continuam e mistério persiste

O governo da Malásia anunciou esta quinta-feira que só vai divulgar um relatório final sobre a investigação ao voo MH370 da Malaysia Airlines quando estiverem concluídas as mais recentes operações de busca pelo avião. Algo que deve acontecer no final de junho. Em janeiro, as autoridades malaias concordaram pagar 70 milhões de dólares (mais de 56 milhões de euros) à empresa Ocean Infinity caso encontre a aeronave.

No dia que marca os quatro anos do desaparecimento do MH370, o governo malaio enviou o comunicado anual para as famílias das vítimas. Neste documento os investigadores explicam que qualquer pista descoberta nestas novas buscas pode afetar “significativamente a investigação”.

“No caso da aeronave ser encontrada, a equipa irá conduzir uma investigação maior”, pode ler-se no comunicado a que a Reuters teve acesso.

O primeiro-ministro malaio, Najib Razak, reiterou o empenho do seu governo em encontrar o MH370. “Estamos a pressionar a comunidade global de aviação a tomar medidas para tornar os nossos céus mais seguros”, escreveu no seu Twitter.

Quatro anos depois continua a ser grande o mistério em torno do voo MH370. O avião que seguia com 239 pessoas a bordo partiu de Kuala Lumpur, na Malásia, e tinha como destino Pequim. Desapareceu dos radares durante o voo e não voltou a dar qualquer sinal. As autoridades da Malásia temeram logo o pior, a queda do avião.

Mas o aparelho nunca foi encontrado. Isto depois de operações de busca num raio de 120 mil quilómetros quadrados no oceano Índico, onde se estimava que o aparelho tivesse caído. Estas buscas tiveram um custo de quase 160 milhões de dólares (perto de 130 milhões de euros).

Foram encontrados destroços do avião em ilhas do oceano Índico e ao longo da costa este de África.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor. Descarregue a nossa App gratuita para iPhone, iPad e Android

iOS e Android

AdChoices
AdChoices

Mais do Notícias ao Minuto

image beaconimage beaconimage beacon