Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Caudal do Tejo com níveis preocupantes

Em Portugal, autarcas, ambientalistas e população lançam o alerta: entre o Alto Alentejo e o Ribatejo o caudal do Rio Tejo está reduzido a um pequeno fio de água em várias porções do trajeto. O ativista Arlindo Marques, conhecido como o "guardião do Tejo" pela luta em defesa do rio, diz que há passagens onde há menos de um palmo de profundidade, uma situação completamente anormal. Arlindo Marques: "Numa altura destas, acabou o inverno há meia dúzia de dias, e o rio já está assim, eu não prevejo nada de bom futuramente, e são mais seis ou sete meses sem chuva..." O ambientalista, que dirige o Movimento pelo Tejo, defende que Portugal e Espanha deveriam revêr os acordos em vigor, para estipular um valor diário de caudal, em vez de simplesmente o volume de água total, que significa que, no Inverno, as autoridades espanholas cumprem "escrupulosamente" o estabelecido, mas nas épocas de seca, retêm ao máximo a água nas barragens e açudes. Uma opinião partilhada pelo presidente da Câmara de Gavião, na região de Portalegre: "Eu penso sobretudo que temos que melhorar as convenções que temos com Espanha." José Pio defende uma frente unida dos autarcas das zonas ribeirinhas, para fazer tanto pressão sobre o governo português, como "junto das entidades europeias".
image beaconimage beaconimage beacon