Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Militar vítima de golpe de calor está nos cuidados intensivos de menor gravidade do Curry Cabral

Logótipo de Expresso Expresso 15/05/2019 Hugo Franco, Vera Lúcia Arreigoso

Soldado foi transferido esta quarta-feira do hospital de Abrantes para Lisboa depois do estado clínico ter-se agravado durante a última noite. Sentiu-se mal numa prova de 9 quilómetros em Santa Margarida

Expresso © Tiago Miranda Expresso

O soldado que foi vítima de um golpe de calor em Santa Margarida já se encontra no Curry Cabral, em Lisboa. Fonte do hospital diz ao Expresso que o militar se encontra internado nos cuidados intensivos de menor gravidade. Está assim em observação permanente pela equipa médica.

Na última noite, o estado clínico do soldado tinha-se agravado e por essa razão foi transferido esta quarta-feira do hospital de Abrantes para o Curry Cabra.

O militar terá sido vítima de um golpe de calor durante um exercício realizado esta terça-feira no Campo Militar de Santa Margarida. Tratava-se de uma prova topográfica de nove quilómetros. O soldado sentiu-se mal devido ao calor que se fazia sentir, tendo sido socorrido por uma equipa médica militar com uma ambulância. Foi transferido para o centro de Saúde de Tancos/Santa Maria e mais tarde entrou nos cuidados intensivos do hospital de Abrantes. Agora encontra-se no Curry Cabral.

O Exército afiança que foi garantido o acesso a água durante o percurso da prova. Havia três apoios fixos de água ao longo do percurso. Além disso, o equipamento transportado era “ligeiro”, sem “mochila e capacete”. Cada soldado tinha um cantil e também um telemóvel para usar em caso de emergência.

Caso haja necessidade do soldado fazer um transplante, o Curry Cabral é o hospital de referência para a área hepática, nomeadamente para o transplante de fígado, um dos órgãos que em casos de golpes de calor tende a ser sobrecarregado e a poder entrar em falência.

Em setembro de 2016, Dylan da Silva, de 20 anos, um dos dois militares que perdeu a vida durante a prova zero do curso dos Comandos, morreu precisamente neste hospital à espera de um transplante do fígado.

Neste processo que está em julgamento no Campus da Justiça desde setembro do ano passado, 19 instrutores do curso 127, todos Comandos, são acusados de abuso de autoridade por ofensa à integridade física e outros crimes previstos no Código de Justiça Militar.

AdChoices
AdChoices

Mais de Expresso

image beaconimage beaconimage beacon