Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Guiné-Bissau: Polícia proíbe vigília frente à embaixada do Senegal

Logótipo de RFIRFI 12/02/2018 Guiné-Bissau: Polícia proíbe vigília frente à embaixada do Senegal

A polícia da Guiné-Bissau proibiu, esta segunda-feira, uma vigília junto à embaixada do Senegal. O protesto era promovido pelo grupo Cidadãos Inconformados e visava denunciar os assassínios de cidadãos guineenses nas regiões fronteiriças entre os dois países.

Os Cidadãos Inconformados tinham previsto para hoje uma vigília diante da embaixada do Senegal, em Bissau, para demonstrar o seu repúdio pelas mortes de cidadãos guineenses por elementos das autoridades senegalesas.

© Fournis par France Médias Monde

O último caso remonta a sexta-feira, quando uma caravana de cidadãos guineenses foi atacada, alegadamente, pela polícia fronteiriça. Pelo menos um homem guineense foi morto.

Antes, no mês de janeiro, três madeireiros guineenses foram mortos, alegadamente, por rebeldes senegaleses, nas matas de Bofa, da aldeia de Boutoupa Camarakunda, próximo da fronteira entre a Guiné-Bissau e o Senegal.

Na sequência dos incidentes da semana passada, o primeiro-ministro indigitado, Artur Silva, pediu ao ministro do Interior do Governo demissionário, Botche Candé, "toda a informação" sobre o sucedido. Por seu lado, a Liga Guineense dos Direitos Humanos, exigiu "total esclarecimento" das autoridades de Bissau sobre os contornos do incidente.

AdChoices
AdChoices

Mais de RFI

image beaconimage beaconimage beacon