Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Maiorias absolutas são "muito perigosas"

Logótipo de RTP RTP 11/09/2019 RTP
© Fornecido por RTP - Rádio e Televisão de Portugal, S.A.

Catarina Martins recusa concretizar objetivos para as eleições de outubro, manifestando esperança no alcance de novas soluções de entendimento para a próxima legislatura. Entrevistada pela rádio pública, a dirigente do Bloco considera que uma eventual maioria absoluta do PS seria "muito perigosa" para o país. A líder do Bloco esteve esta manhã na Antena1 para falar sobre os objetivos do seu partido para o cenário eleitoral que se avizinha.

Nesta entrevista, a coordenadora do Bloco de Esquerda manifesta esperança no alcance de novas soluções de entendimento para a próxima legislatura, no seguimento do que ocorreu ao longo do ciclo governativo que está a findar.

Olhando para a modelo de governação seguido nos últimos anos, a líder bloquista repete que sem a chamada "geringonça" o país estaria hoje pior, o que a leva a concluir que uma eventual maioria absoluta do PS nas próximas eleições seria "muito perigosa".

###1171944### Catarina Martins acusa também o Partido Socialista de ter apresentado um programa eleitoral ao qual falta transparência.

###1171941### Nesta entrevista à rádio pública, a coodenadora do BE comprometeu-se ainda com a continuação da luta política em defesa da subida do salário mínimo (para valores "sempre acima dos 800 euros", assegura), ou pela regulação dos preços do mercado de arrendamento de habitação. Catarina Martins defende ainda o recurso à nacionalização de empresas, em particular no sector dos correios e da energia. ###1171943###

AdChoices
AdChoices

Mais da RTP

image beaconimage beaconimage beacon