Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Segundo suspeito do ataque em Paris entregou-se à polícia

Logótipo de Diário de Notícias Diário de Notícias 21/04/2017
Militares fazem segurança nos Campos Elísios © Fornecido por Diário de Notícias Militares fazem segurança nos Campos Elísios

O homem que as autoridades belgas tinham referenciado como podendo estar envolvido no tiroteio ontem, nos Campos Elísios, entregou-se em Antuérpia, no norte da Bélgica.

Segundo a agência de notícias belga, a informação sobre este suspeito tinha sido partilhada com França pelas autoridades da Bélgica, tendo sido emitido uma mandado de captura. O homem entregou-se às autoridades em Antuérpia, no norte da Bélgica e teria ido de comboio para Paris. Testemunhas ouvidas pela BFM TV diziam que este homem teria fugido, logo após o tiroteio, para um parque subterrâneo.

Em França, a polícia deteve também três familiares do atirador que morreu no atentado, que estão a ser interrogado.

Entretanto, o primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, anunciou hoje o reforço da segurança antes da primeira volta das presidências que se realiza no domingo, depois do atentado de quinta-feira, que provocou a morte de um polícia, em Paris. No final da reunião do Conselho de Defesa, presidido pelo chefe de Estado, François Hollande, o primeiro-ministro explicou que vão ser mobilizadas "unidades especializadas de intervenção para garantir uma capacidade de resposta total".

O chefe de governo disse ainda esperar que com a presença efetiva de 50 mil polícias, gendarmes e militares no próximo domingo junto das assembleias de voto, a eleição decorra com "normalidade". O atentado de quinta-feira, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, ocorreu nos Campos Elísios, no centro da capital francesa.

O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico. Segundo a organização jihadista o atentado foi cometido por um belga. A informação foi publicada no site de propaganda do Estado Islâmico, o Amaq, qie diz tratar-se de Abu Yousif, conhecido por "O Belga" . Mas esta informação não é confirmada pelas autoridades belgas. Em novembro de 2015, dois dos 10 terroristas autores do múltiplo ataque em Paris, tinham nacionalidade belga.

O autor dos disparos estava já identificado pelas autoridades como extremista. Segundo o jornal francês Le Figaro, citando uma fonte próxima da investigação, o atacante é um francês de 39 anos, condenado em 2005 a 15 anos de prisão por três tentativas de homicídio, duas delas a polícias. O atacante admitiu os factos durante o recurso. Em 2003, na primeira instância, tinha sido condenado a 20 anos de cadeia. O caso remonta a 2001, quando o alegado autor do ataque de ontem, conduzia uma carro roubado e embateu num outro carro onde seguia um polícia ainda em formação e o seu irmão. Depois do choque entre as viaturas, o suposto terrorista terá fugido, mas como foi apanhado pelo irmão do polícia e estava armado, disparou sobre os dois. O polícia ficou gravemente ferido no tórax. O atacante acabou preso, sob nome falso, e dois dias depois agarrou na arma de um guarda prisional e atingiu-o com vários tiros.


Leia também no MSN Portugal:
Rapaz de 15 anos e rapariga de 13 viviam casados em Aveiro
Beyoncé é fotografada e os fãs chamam-na "gorda"
Portugueses confundiram ataque com rodagem de filme de Tom Cruise

Governo estuda possibilidade de idade mínima da reforma aumentar todos os anos

A SEGUIR
A SEGUIR

O melhor do MSN em qualquer dispositivo




AdChoices
AdChoices

Mais do Diário de Notícias

image beaconimage beaconimage beacon