Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Caso SEF:presidente ucraniano pede a Marcelo "investigação completa e imparcial”

Logótipo de TVI24 TVI24 13/01/2021 .
Caso SEF:presidente ucraniano pede a Marcelo "investigação completa e imparcial” © TVI24 Caso SEF:presidente ucraniano pede a Marcelo "investigação completa e imparcial”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conversou com o homólogo da Ucrânia sobre o homicídio do cidadão ucraniano nas instalações do SEF, tendo Volodymyr Zelensky pedido a Portugal para “garantir uma investigação completa e imparcial”.

De acordo com um comunicado divulgado na página da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa e Volodymyr Zelensky conversaram durante uma hora e, entre vários assuntos abordados, “debruçaram-se sobre o caso” de Ihor Homeniuk.

O chefe de Estado ucraniano “agradeceu à parte portuguesa pela justa compensação e preocupação perante” a família do cidadão ucraniano que foi morto por inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), em março do ano passado, nas instalações do SEF no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Estamos confiantes de que a parte portuguesa irá garantir uma investigação completa e imparcial sobre as circunstâncias da morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk”, disse Volodymyr Zelenskyy durante a conversa com Marcelo Rebelo de Sousa, segundo a mesma nota.

O cidadão ucraniano Ihor Homeniuk morreu na sequência de violentas agressões por três inspetores do SEF, que estão acusados de homicídio qualificado, com a alegada cumplicidade ou encobrimento de outros 12 inspetores.

O julgamento deste caso vai começar em 20 de janeiro.

Nove meses depois do alegado homicídio, a então diretora do SEF, Cristina Gatões, demitiu-se, depois de vários partidos exigirem consequências políticas sobre este assunto.

As mesmas forças políticas também exigiram a demissão do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que não acedeu à exigência e considerou que Cristina Gatões “fez bem em entender” que devia “cessar funções”, já que não teria condições para liderar o processo de restruturação do organismo.

Marcelo Rebelo de Sousa – que é recandidato a um segundo mandato – foi criticado por vários partidos e adversários na corrida a Belém por não ter contactado a família de Ihor Homeniuk depois de conhecido o caso. O Presidente foi também acusado de ter estado em silêncio durante noves meses.

Sobre estas acusações, o Presidente respondeu que entendeu que não o deveria fazer para “não abrir exceção” e porque ainda estava a decorrer a investigação ao caso.

AdChoices
AdChoices

Mais de TVI24

image beaconimage beaconimage beacon