Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Covid-19: Marcelo diz que chefes de Estado estrangeiros consideram “invejável” a taxa de vacinação em Portugal

Logótipo de Expresso Expresso há 6 dias Lusa

O Presidente da República disse hoje que a taxa de vacinação anticovid-19 em Portugal "é invejável" na União Europeia (UE), ao chegar quase aos 82% da população com vacinação completa, o que permitiu "o começo da mudança"

Marcelo Rebelo de Sousa © ana baião Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República disse hoje que a taxa de vacinação anticovid-19 em Portugal "é invejável" na União Europeia (UE), ao chegar quase aos 82% da população com vacinação completa, o que permitiu "o começo da mudança".

"Houve chefes de Estado que, eles próprios, falaram das suas situações, dizendo que ficavam aquém daquilo que gostariam e a nossa situação é invejável", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, falando aos jornalistas portugueses em Roma, após se ter reunido com 14 chefes de Estado da UE na 16.ª reunião do Grupo de Arraiolos.

"Mesmo países com taxas de vacinação muito altas -- dou o exemplo da Áustria -- falaram em percentagens muito inferiores à nossa e outros nem falaram sequer porque a percentagem era muitíssimo mais baixa e todos perguntavam: 'mas como é que é possível Portugal ter estado, aparentemente, visto de fora, tão mal e agora estar tão bem'", pormenorizou o chefe de Estado português.

Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que, apesar de os dados "serem relativos", há "uma coisa que não é relativa, que é que a vacinação fez a diferença".

"A partir do momento em que entrou a vacinação em massa, foi também em massa que se deu o começo da mudança", adiantou o Presidente da República à imprensa portuguesa após a reunião destes 15 chefes de Estado da UE sem poderes executivos, numa iniciativa fundada por Jorge Sampaio.

Portugal é hoje o país do mundo com maior taxa de cobertura da população com a vacinação completa contra a covid-19, de acordo com o site de estatísticas Our World in Data.

O país superou nos últimos dias Malta e regista 81,54% de população com a vacinação completa contra a infeção provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, enquanto Malta tem 80,95% da população totalmente imunizada face à covid-19. Em terceiro lugar no 'ranking' mundial surgem os Emirados Árabes Unidos, com 78,80%.

No entanto, se forem incluídos os dados da população com o processo de imunização ainda incompleto, Portugal cai para o segundo posto a nível mundial, com 5,40% da população ainda por completar a vacinação, elevando o total de cobertura vacinal (primeiras e segundas doses) para 86,94%.

Em primeiro lugar ficam os Emirados Árabes Unidos, que, a somar aos 78,80% de população totalmente protegida em relação à covid-19 têm ainda 11,09% dos seus habitantes com o processo de vacinação incompleto, o que perfaz um total de cobertura vacinal de 89,89%. Malta é neste registo o terceiro país a nível mundial, com um total de população com primeira e segundas doses de 81,11%.

Segundo o relatório semanal da vacinação da Direção-Geral da Saúde (DGS), 80% da população portuguesa, o equivalente a mais de 8,2 milhões de pessoas, já concluiu o processo de vacinação contra o vírus SARS-CoV-2 e 85%, mais de 8,8 milhões, já tem a primeira dose da vacina.

A 'task force' que coordena a logística da vacinação estima atingir na última semana deste mês a meta de 85% da população portuguesa com a vacinação completa.

A covid-19 provocou pelo menos 4.646.416 mortes em todo o mundo, entre mais de 225,72 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.882 pessoas e foram contabilizados 1.058.347 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon