Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Medina renuncia a cargo de vereador para facilitar a vida a Moedas e o PS não ficar “agarrado ao passado”

Logótipo de Expresso Expresso 12/10/2021 Liliana Valente

Numa carta enviada à Assembleia Municipal, Fernando Medina diz que a sua saída ajuda ao funcionamento do executivo municipal de Carlos Moedas e que sem ele não há “pessoalização do debate”

© TIAGO MIRANDA

É o fim de ciclo para Fernando Medina na Câmara Municipal de Lisboa. O presidente da autarquia, que foi derrotado nas urnas a 26 de Setembro passado, renuncia ao cargo de vereador na capital e justifica a decisão, numa carta a que o Expresso teve acesso, como forma de facilitar não só a vida ao executivo como à oposição.

"O quadro político que saiu das eleições é distinto do que vivemos nesse período. Julgo que é esta a solução que melhor serve os interesses da cidade, o funcionamento das reuniões do executivo da autarquia e a capacidade de a oposição camarária se concentrar no futuro e não no passado", escreveu numa carta endereçada à Assembleia Municipal.

Fernando Medina diz tratar-se de uma "decisão individual" apesar de ter ouvido muitas pessoas nos últimos dias. Na curta missiva, o socialista explica que quer evitar a "pessoalização" do debate e a concentração das discussões na Câmara Municipal à volta das suas opções e da sua pessoa. "Ao contrário do Governo, onde só fazem parte do executivo membros nomeados pelo primeiro-ministro, a oposição nas autarquias integra o executivo. A minha saída da câmara municipal facilita a vida aos futuros órgãos da autarquia, reduzindo o nível de pessoalização do debate e concentrando a discussão política na procura de soluções para os desafios do futuro", lê-se.

Medina refere ainda na sua carta que ficará atento à cidade que é a sua - "Lisboa é a cidade da minha vida" - e que tem agora uma "sólida situação económica e financeira e um vasto conjunto de projetos em curso", mas que não exercerá qualquer cargo político que dificulte a sua progressão. "Não preciso de exercer qualquer cargo para continuar atento ao desenvolvimento de Lisboa", escreve.

Fernando Medina foi vereador na equipa de António Costa por dois anos e depois presidente da Câmara Municipal de Lisboa nos últimos seis anos. A derrota nas últimas eleições autárquicas levam agora o socialista a dizer adeus ao cargo de vereador sem pasta.

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon