Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Todos em liberdade no caso SPDE

Logótipo de Jornal de Notícias Jornal de Notícias há 4 dias Nuno Miguel Maia
Eduardo Santos Silva (Edu), que se encontrava em prisão domiciliária, vai ficar sujeito a termo de identidade e residência © Miguel Pereira/Global Imagens Eduardo Santos Silva (Edu), que se encontrava em prisão domiciliária, vai ficar sujeito a termo de identidade e residência

O Tribunal de Guimarães decidiu, esta segunda-feira, colocar em liberdade todos os arguidos do caso SPDE que estavam em prisão preventiva e em prisão domiciliária.

O acórdão do processo que envolve a empresa de segurança do SPDE e que também domina a segurança de espaços de diversão noturna no Norte do país só será lido a 8 de novembro.

Mas os juízes já concluíram que as penas que eventualmente possam vir a ser aplicadas tornam inadequado que qualquer dos acusados esteja privado da liberdade.

Assim, Eduardo Santos Silva (Edu), que se encontrava em prisão domiciliária, vai ficar sujeito apenas a termo de identidade e residência. Mais 12 arguidos encontravam-se em obrigação de permanência na habitação, tendo igualmente recebido ordem para libertação.

Nelson Matos, o único preso preventivo do processo com 54 arguidos, também acaba de saber da extinção da medida de coação mais grave.

No caso SPDE são acusados Pinto da Costa, presidente do F. C. Porto, e Antero Henrique, ex-administrador da SAD e hoje dirigente do Paris Saint Germain, por crimes de segurança ilegal. O Ministério Público pediu já a absolvição de ambos.

O melhor do MSN em qualquer dispositivo


AdChoices
AdChoices

Mais do Jornal de Notícias

image beaconimage beaconimage beacon