Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Prisão perpétua pela trágica morte de um grupo de imigrantes

Quatro traficantes de seres humanos foram condenados a prisão perpétua, na Hungria. Uma decisão final tomada por um tribunal húngaro pela morte de um grupo de imigrantes cujos corpos foram encontrados amontoados, já em decomposição, dentro de um camião deixado numa estrada austríaca, há quatro anos: "71 pessoas morreram num camião, uma morte horrível. Elas viram os seus familiares, amigos, morrerem ao lado delas enquanto lidavam com o facto de que iriam também iriam morrer porque, para os contrabandistas, evitar serem apanhados, era mais importante do que as vidas de 71 pessoas", afirmou, nas considerações finais, o juiz encarregado do caso, Erik Mezolaki. O líder do grupo, um afegão, e três cúmplices búlgaros foram considerados culpados de tráfico humano organizado e homicídio qualificado por se terem recusado a parar o camião frigorífico e abrir as portas para deixar entrar o ar, isto apesar dos apelos de quem estava lá dentro. "A tragédia mais grave, da crise dos refugiados em 2015, poderia ter sido, facilmente, evitada. A polícia já conhecia esses traficantes de seres humanos, chamadas tinham sido interceptadas, mas a tradução das mesmas para húngaro chegou tarde demais", explica um dos correspondentes da euronews na Hungria, Attila Magyar.
image beaconimage beaconimage beacon