Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Tailândia: Partido pró-militar assume vitória

As eleições deste domingo na Tailândia foram as primeiras desde o Golpe de Estado de 2014. Ainda não há resultados oficiais nem certezas de quem vai realmente formar governo no parlamento tailandês. Mesmo assim, o partido pró-militar celebrou vitória no voto popular. " A partir de agora, começaremos a conversar com partidos políticos, que ganharam assentos nesta eleição e cujas políticas vão de acordo com as nossas , para formar um governo", admitiu Uttama Savanayana, líder do partido pró-militar Palang Pracharat. Tanto o partido pró-militar como a oposição dizem ter votos suficientes para formar governo. A Comissão Eleitoral diz que o partido opositor e anti-militar Pheu Thai, venceu a maioria das cadeiras, conquistando 137 assentos na Câmara, ao contrário dos 97 do governo pró-militar atual. "Depois de contar os votos do lado democrático, vemos que há mais de 200 deputados de todos os partidos políticos que declararam ou anunciaram anteriormente que não permitirão que os militares continuem no poder. Então, acho que é a vontade das pessoas ver mudança neste país, ir para o caminho democrático", admitiu Pokin Polakul, membro do partido opositor Pheu Thai. A oposição quer mudança, só que na Tailândia é a constituição militar do país que garante o senado e só os militares podem nomear a maioria dos deputados. Ou seja, o partido pró-militar pode continuar no governo, mesmo não tendo vencido a maioria das cadeiras do parlamento. Os resultados das eleições só serão conhecidos no início de maio.
image beaconimage beaconimage beacon