Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bebé de um ano e menino de seis anos morrem com hepatite aguda infantil em Espanha

Logótipo de TVI TVI há 4 dias Beatriz Madaleno de Assunção
Bebé de um ano e menino de seis anos morrem com hepatite aguda infantil em Espanha © TVI24 Bebé de um ano e menino de seis anos morrem com hepatite aguda infantil em Espanha

Um bebé de 15 meses e um menino de seis anos são as duas primeiras mortes a registar por hepatite aguda infantil, em Espanha. Os menores morreram devido à rejeição do organismo ao transplante de fígado, adianta o jornal espanhol El País

O menino de seis anos era da província de Múrcia e o bebé de 15 meses da Andaluzia. De acordo com o relatório de saúde espanhol, entre os 46 casos detetados em Espanha, foram realizados três transplantes. Destes, só o terceiro caso é que apresenta uma boa evolução clínica e diz respeito a uma menina de três anos, de Aragão.

O menino de seis anos começou a ter sintomas a 2 de julho, tendo sido transferido para um hospital de Madrid no dia 18, para efetuar um transplante. A intervenção aconteceu a 29 de julho e a criança acabou por morrer 24 horas depois.

Já o bebé, de 15 meses, deu entrada no hospital no final de junho com uma gastroenterite aguda com cultura positiva para Adenovírus em situação crítica (encefalopatia e coagulopatia grave). O caso exigiu um transplante de fígado urgente e, nas 24 horas que se seguiram, também acabou por morrer.

Espanha já registou 46 casos desta hepatite de "origem desconhecida" em pessoas crianças e jovem até aos 16 anos: mais de 60% dos doentes naquele país são meninas.

Recorde-se que já havia registo de duas mortes na Europa, 13 nos EUA, uma no Mediterrâneo Oriental e seis no sudeste asiático.

Em Portugal, de acordo com o último balanço feito pelo Direção-Geral da Saúde (DGS), havia 17 os casos suspeitos de hepatite aguda infantil, uma doença viral cuja causa ainda é desconhecida. O primeiro caso foi detetado a 28 de abril, precisamente há dois meses, dia que coincidiu com a criação de uma task-force para acompanhar o caso, e que tem especialistas do Programa Nacional para as Hepatites Virais (PNHV) e da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP).

AdChoices
AdChoices

Mais de TVI

image beaconimage beaconimage beacon