Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Criminalidade em Moçambique não aumenta após passagem do ciclone Idai

Em momentos de crise, sobrevive o espírito de solidariedade. O governo moçambicano agradece toda a ajuda que o país está a receber depois da devastação provocada pela passagem do ciclone Idai. A vice-ministra do Interior de Moçambique, em declarações feitas na numa reunião da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa sublinhou também o ambiente que se vive na região da Beira. "As autoridades estão atentas a uma eventual "eclosão de casos de criminalidade. Felizmente, parece que toda a gente está preocupada em primeiro reerguer. É uma preocupação, sim, mas felizmente estamos a ter uma resposta no sentido contrário. Parece que toda a gente está afetada e não sobra tempo para pensar em atos de criminalidade", disse Helena Mateus Khida. A ministra disse ainda que não houve, para já, registos de violações em troca de ajuda humanitária, como chegou a ser noticiado. Recorde-se que o ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique a 14 de março: 603 pessoas morreram, mais 1,5 milhões foram afetadas. A CPLP criou um fundo de emergência de apoio a Moçambique que conta atualmente com 1,5 milhão e meio de euros.
image beaconimage beaconimage beacon